Está aqui

Uber processada por aplicar taxas de espera a pessoas com deficiência

A plataforma de transporte de passageiros cobrava taxas nos EUA enquanto os motoristas esperavam que os passageiros entrassem no veículo. Taxa começava a ser cobrada dois minutos depois do motorista chegar ao local.
Foto de abrackin | Flickr

Segundo o Departamento de Justiça estadunidense, citado pela Lusa, a Uber aplicava taxas de espera aos passageiros dois minutos depois do motorista chegar ao local de encontro. A taxa começou a ser aplicada em 2016 em algumas cidades, mas acabou por ser generalizada a todo o país americano.

O tribunal distrital federal dos Estados Unidos, no norte da Califórnia, afirma que a Uber está a violar a lei de proteção para as pessoas com deficiência ao não alterar as suas taxas com base nas pessoas que possam demorar mais algum tempo a entrar no carro. A justiça frisa que a empresa tinha conhecimento da condição de alguns passageiros quando cobrava a taxa de espera.

A Uber, em comunicado, disse que “as taxas de «tempo de espera» são cobradas a todos os utilizadores para compensar os motoristas após dois minutos de espera, mas nunca foram destinadas a clientes que estão a postos no seu local de recolha, mas que precisam de mais tempo para entrar no carro”. Acrescentando que reembolsa o valor aos passageiros que alertarem para este facto. As taxas de espera cobradas são, em média, de 60 cêntimos.

A ação judicial solicita ao tribunal que a Uber seja obrigada a mudar a sua política, a formar os seus funcionários e a pagar indemnizações por danos monetários às pessoas que estiveram sujeitas a estas taxas violando a lei de proteção para as pessoas portadoras de deficiência.

Termos relacionados Internacional
(...)