Está aqui

"TV Fest": festival do milhão de euros não sobreviveu às críticas

Petição contra o festival anunciado pela ministra da Cultura juntou 20 mil subscritores em menos de 24 horas. Descontentamento no meio artístico terá ditado cancelamento da iniciativa.
Ministra da Cultura
Anúncio da medida no Telejornal da RTP

Segundo o semanário Expresso, que cita fonte da RTP, o polémico "TV Fest" que devia arrancar esta quinta-feira já não vai acontecer. O cancelamento terá sido o resultado da chuva de críticas que se abateu sobre a iniciativa, mal foi anunciada pela ministra Graça Fonseca.

Na sequência do anúncio de investimento de um milhão de euros destinados aos artistas e técnicos participantes no "TV Fest", a iniciativa do Ministério da Cultura que previa a transmissão de concertos todas as noites no canal 444 e na RTP Play, foi lançada uma petição a apelar ao seu cancelamento. Em menos de 24 horas recolheu cerca de vinte mil subscrições.

Para os promotores da petição, a realização do "TV Fest" no presente estado de emergência, "constitui uma ameaça ao ecossistema cultural português que elimina curadores, diretores artísticos, músicos, técnicos e os demais, operando através de um jogo em corrente exclusivo, e de círculo fechado, aos seus participantes artísticos, que desclassifica a participação, representatividade e diversidade de um sector, constituindo uma medida antidemocrática e não inclusiva. As suas premissas anulam o trabalho invisível de mediação, pensamento e criação de experiência entre públicos e artistas, retirando-lhes a possibilidade de efetuar o seu trabalho e elegendo beneficiários ativos, o que exponencia clivagens e divisões, numa classe social já de si marcada pela precariedade, desigualdade e instabilidade económica, e exclui centenas de profissionais em todo o país.”

Graça Fonseca, ministra da Cultura, tinha anunciado no telejornal da RTP que todas as noites se juntariam quatro artistas num festival apresentado por Júlio Isidro. Segundo a Ministra, o objetivo seria “criar uma corrente entre artistas”, em que os artistas do dia escolhem os seguintes com o objetivo de apoiar músicos e técnicos. Deveria começar esta 5ª feira, 9 de Abril, pelas 22h, com a participação de Marisa Liz, Rita Guerra, Fernando Tordo e Ricardo Ribeiro. Previa-se gravação a partir de casa dos artistas.

“Embora apareça a minha fronha chapada nesta notícia, não tenho nada que ver com esta iniciativa” escreveu Salvador Sobral, na sua conta de Facebook, um dos subscritores da petição, segundo noticiou o jornal Público.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)