Está aqui

Trump quer Rússia de volta ao G7 e lança ameaças antes da cimeira

A poucas horas de chegar à cimeira do G7 no Canadá, o presidente norte-americano ameaçou europeus e o canadianos com novas tarifas às importações.
Foto Joyce N. Boghosian/Casa Branca/Flickr

A cimeira do G7 em Montréal é marcada pelo clima de guerra comercial imposta pelos Estados Unidos, com a introdução de tarifas à importação de aço e alumínio, justificada por motivos de “segurança nacional”.

Ainda em Washington, Donald Trump resolveu introduzir mais um elemento de discórdia no encontro ao defender o regresso da Rússia às reuniões. “Quer queiram quer não, e até pode não ser politicamente correto, mas temos um mundo para gerir… Eles deviam deixar a Rússia voltar a entrar”, defendeu o presidente dos EUA.

Ao lado desta posição de Trump surgiu o novo primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte, que segundo a agência Reuters também veio defender o regresso da Rússia, afastada do grupo por causa da anexação da Crimeia em 2014. A reação de Moscovo foi cautelosa, com o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, a afirmar que o país está a privilegiar outros formatos, como o G20.  

Na véspera da sua chegada à cimeira, Donald Trump escreveu uma série de tweets ameaçadores aos restantes chefes de governo presentes em Montréal. A começar pelo anfitrião, Justin Trudeau, a quem Trump acusa de estar a “prejudicar os nossos agricultores, a matar a nossa agricultura!”, ao cobrar tarifas até 300% nos laticínios produzidos nos EUA.

O presidente francês Emmanuel Macron afirmou mesmo que Trump podia sair mais isolado do G7, abrindo a hipótese dos EUA não subscreverem a declaração final do encontro. “O presidente norte-americano pode não se importar de ficar isolado, mas nós também não nos importamos de assinar um acordo entre os seis países se for necessário”, afirmou Macron no Twitter.

A resposta de Trump não se fez esperar: “Por favor digam ao primeiro-ministro Trudeau e ao presidente Macron que eles estão a cobrar aos EUA tarifas enormes e a criar barreiras não monetárias. O superavite da UE com os EUA é de 151 mil milhões de dólares, e o Canadá mantém de fora os nossos agricultores e outros. Aguardo com expetativa o nosso encontro de amanhã.”

A estadia de Trump na cimeira do G7 vai ser curta, uma vez que a Casa Branca anunciou que irá sair mais cedo do que os restantes membros, no sábado de manhã, para viajar diretamente para Singapura, onde na terça-feira tem encontro marcado com o líder norte-coreano Kim Jong Un.

Termos relacionados Internacional
(...)