Está aqui

Transtejo/Soflusa: Trabalhadores cumpriram dois dias de greve parcial

Reivindicando aumentos salariais, os trabalhadores das duas empresas dos barcos que fazem as ligações fluviais entre Lisboa e a Margem Sul, realizaram paralisações de três horas por turno, durante dois dias.
Transtejo/Soflusa, trabalhadores cumpriram dois dias de greve parcial com grande adesão – Foto da CGTP
Transtejo/Soflusa, trabalhadores cumpriram dois dias de greve parcial com grande adesão – Foto da CGTP

Segundo a empresa, a adesão foi de 60% na Transtejo e de 72% na Soflusa, na quinta-feira, e de 55% na Transtejo e 65% na Soflusa, na quarta-feira. Em nota divulgada na quarta-feira, 16 de junho, à tarde, a FECTRANS (Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações – CGTP) indicou que “as greves na Transtejo e na Soflusa registaram uma adesão quase total dos trabalhadores que levou à paralisação de toda a atividade destas empresas”.

Paulo Lopes, da FECTRANS, disse à Lusa esta quinta-feira que a adesão no período da manhã “foi bastante boa”, refletindo a “grande insatisfação e indignação dos trabalhadores pela maneira como o Governo está a tratar os trabalhadores”. O sindicalista acrescentou que na manhã desta quinta-feira, no Barreiro, funcionaram apenas os serviços mínimos e de Cacilhas houve apenas uma tripulação que fez uma carreira.

“Podemos dizer que a luta está a ser bastante positiva”, sublinhou Paulo Lopes, adiantando à Lusa que será realizado um plenário, ainda sem data marcada, para fazer um balanço da luta e decidir novas iniciativas. Os trabalhadores da Transtejo e da Soflusa já tinham realizado a 20 de maio uma greve parcial semelhante, mas durante três dias.

A FECTRANS acusa a administração da empresa de não discutir nem negociar com os representantes dos trabalhadores e defende que estes têm razão na defesa da revisão anual dos salários.

Em comunicado distribuído aos utentes da Transtejo, a FECTRANS afirma que “são duas razões centrais da nossa luta”:
- a revisão do Acordo de Empresa(AE), cuja proposta da administração/governo é de um aumento 0,33€/dia para 1 trabalhador e ZERO para os restantes 238;
- questões relativas aos novos Navios Elétricos, aos tempos de viagem eaos carregamentos das baterias.

No comunicado distribuído na SOFLUSA, a FECTRANS assinala que:
- em relação à revisão do AE, a proposta da administração/governo é de um aumento 0,33€/dia para 20 trabalhadores e ZERO para os restantes 120;
- a segunda questão, refere-se às questões da segurança, derivadas do aumento das lotações dos navios, sem que aumente o número de tripulantes.

A Transtejo assegura as ligações fluviais entre Lisboa e Cacilhas, Seixal, Montijo e Trafaria/Porto Brandão e a Soflusa garante as ligações entre Lisboa e Barreiro.

Termos relacionados Sociedade
(...)