Está aqui

Transportes: Bloco quer mudanças no programa de redução tarifária

A deputada Isabel Pires considera que existem necessidades muito diferentes das diferentes regiões e por isso há que alterar o Programa de Apoio à Redução Tarifária. Notícia do Interior do Avesso.
Isabel Pires na linha do Vouga em defesa da sua requalificação. Dezembro de 2019. Foto do Facebook.

Por pedido do Bloco de Esquerda, foi ouvido na Assembleia da República esta quarta-feira o Instituto de Mobilidade e dos Transportes (IMT), para debate e avaliação do PART (Programa de Apoio à Redução Tarifária) no ano de 2019. Isabel Pires, deputada do Bloco, afirma que é necessário perceber-se, sob o ponto de vista do IMT, “de que forma pode e deve ser alterado o PART e o seu funcionamento por forma a estar mais em consonância com as realidades existentes.”

Em declarações ao Interior do Avesso, a Deputada refere que “há uma questão que tem sido muito debatida e é, do nosso ponto de vista, fundamental: as diferenças óbvias entre Comunidades Intermunicipais (CIM) e Áreas Metropolitanas (AM), seja na capacidade já existente de oferta, seja na própria distribuição de verbas.”

Isabel Pires considera que existem diferenças territoriais e necessidades muito diferentes, considerando que “já passou o ano de 2020 e algumas das dificuldades encontradas por causa dessas diferenças mantêm-se.”

Deixou ainda algumas questões sobre a forma como o PART podia ser alterado. Se alterando os critérios de elegibilidade, ou alterando “valores para cada CIM e AM, mais de acordo com as realidades recentes e os números mais atuais” ou sobre “como interligar melhor o papel do PART na redução tarifária e do PROTransP na criação de oferta”.


Notícia publicada em Interior do Avesso.

 

 

Termos relacionados Política
(...)