Está aqui

Trabalho gratuito de voluntários rende 115 mil euros a Web Summit

Os voluntários que garantem o funcionamento da Web Summit não recebem salário e suportam as despesas de deslocação e alojamento. Tal não impede a organização de Paddy Cosgrave de cobrar pelo patrocínio do programa de voluntariado, amealhando 115 mil euros à custa do trabalho gratuito.
Foto da página de facebook da Web Summit.

A empresa ou entidade que pretenda colocar, em exclusividade, o seu logótipo nas t-shirts dos voluntários, bem como em vários espaços do evento, online ou físicos, tem de pagar 115 mil euros à organização da conferência tecnológica. Este valor consta da tabela de preços do evento, a que o jornal Público teve acesso. O montante inclui ainda a oportunidade de marketing numa festa dedicada aos voluntários, a realizar no fim da Web Summit.

Centenas de pessoas trabalham gratuitamente na cimeira tecnológica, que implica um investimento anual de 11 milhões de euros ao erário público. Os voluntários são provenientes de 66 países e pagam as suas despesas de alojamento e transportes.

Segundo o acordo firmado entre a organização de Paddy Cosgrave, o Governo português e a Câmara de Lisboa, a Web Summit permanecerá em Lisboa até 2028.

Termos relacionados Sociedade
(...)