Está aqui

Trabalhadores do setor ferroviário em greve esta segunda-feira pela valorização salarial

Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário explica que, “onde houve aumento de salários, eles já foram absorvidos pelo aumento dos preços e nas empresas públicas, geridas pelo governo maioritário do PS, as propostas são dez vezes inferiores à inflação”.
Foto de Antero Pires, Flickr.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF) convocou para este mês um pré-aviso de greve ao trabalho extraordinário, ao trabalho em dia de descanso semanal e ao trabalho em feriado. Em causa está o “descontentamento” dos trabalhadores e a “exigência pela valorização dos seus salários”.

Em declarações à agência Lusa, fonte do SNTSF referiu que na origem desta paralisação estão o aumento salarial de 0,9%, manifestamente insuficiente face à inflação galopante, bem como a falta de trabalhadores na empresa.

De acordo com o dirigente sindical Abílio Carvalho, há “quase que uma imposição” por parte da CP em que “os trabalhadores têm de recorrer quase obrigatoriamente ao trabalho extraordinário”.

“Não há ferrovia sem ferroviários”

“Volta não volta, somos confrontados com elogios à ferrovia como estratégica para o futuro, com anúncios de muitos milhões de investimentos (anúncios várias vezes repetidos), mas sem se ouvirem medidas para se valorizar o trabalho e os trabalhadores”, escreve o Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Sector Ferroviário (SNTSF) em comunicado.

A estrutura sindical frisa que “não há ferrovia sem ferroviários” e defende que estes “precisam de ver valorizadas as suas remunerações, quer nas empresas públicas, quer nas privadas e perante a inflação deste ano que já vai nos 9,1%, onde houve aumento de salários, eles já foram absorvidos pelo aumento dos preços e nas empresas públicas, geridas pelo governo maioritário do PS, as propostas são dez vezes inferiores à inflação”.

Na missiva, datada de 4 de agosto, o SNTSF alerta ainda que, “se não houver alteração das posições do governo no que se refere aos salários, que depois influenciam as empresas privadas, os ferroviários e os trabalhadores em geral, irão ter um dos maiores cortes salariais deste século”.

Ao contrário do que acontece com os trabalhadores, a quem são negados aumentos de salários, “os bancos e os grandes grupos económicos/financeiros aumentam brutalmente os seus lucros, conseguidos à custa da redução dos salários de quem trabalha”, denuncia o sindicato.

CP alerta para “perturbações nos serviços”

Em comunicado, a CP alertou para “perturbações nos serviços” durante esta segunda-feira, feriado nacional, “nomeadamente atrasos e supressões de comboios”.

No documento, a empresa assinala que “aos clientes que já tenham adquirido bilhete para viajar em comboios dos serviços Alfa Pendular, Intercidades, Inter-regional e Regional, será permitido o reembolso, no valor total do bilhete adquirido, ou a sua revalidação gratuita, para outro comboio da mesma categoria e na mesma classe”.

A CP informa ainda que poderá ser obtida informação sobre o estado da circulação de comboios através do seu portal, cp.pt, ou através da linha de atendimento 808109110.

Termos relacionados Sociedade
(...)