Está aqui

Trabalhadores da Vigilância preparam greve nacional

Os trabalhadores do setor da vigilância privada preparam uma Greve Geral nacional, marcada para 27 de outubro, por aumentos salariais e em defesa do contrato coletivo de trabalho.
Trabalhadores da vigilância privada em plenário no Porto a 10 de outubro de 2016 – Foto de Júlio Cardoso/stad.pt
Trabalhadores da vigilância privada em plenário no Porto a 10 de outubro de 2016 – Foto de Júlio Cardoso/stad.pt

Os trabalhadores da vigilância privada estão em luta e vão fazer greve nacional de 24 horas no dia 27 de outubro de 2016, realizando no mesmo dia uma manifestação nacional às 14.30 horas em Lisboa. Entre 22 de outubro e 6 de novembro, fazem também greve às horas extraordinárias e aos feriados. A luta é convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Actividades Diversas (STAD), filiado na CGTP.

Segundo comunicado sindical, os trabalhadores lutam por:

  • atual contrato coletivo de trabalho
  • melhorar direitos e criar outros
  • aumentos salariais dignos
  • contra várias tentativas de imposição contratual por parte do patronato

Segundo o STAD, os trabalhadores lutam contra a caducidade do contrato de trabalho e pela manutenção de direitos contratuais. O patronato quer impor a caducidade do contrato, pretende retirar direitos consignados e quer impor, nomeadamente, o “banco horas”, o pagamento a “singelo” do trabalho extraordinário, a taxa única de 40% para o trabalho extraordinário e retirar folgas compensatórias de trabalho extraordinário.

Os trabalhadores da vigilância, que não têm aumentos desde 2011, reivindicam um aumento de salário de 5,5% (em média) e lutam por melhorar direitos e criar outros, nomeadamente a subida de um nível na tabela salarial dos trabalhadores da vigilância aeroportuários .

Em luta pelo contrato, desde 2012

O salário atual dos trabalhadores da vigilância é o mesmo de 2011 e, desde 2012, que estes trabalhadores lutam pela revisão contratual e por aumentos salariais.

Ao longo de cinco anos os trabalhadores deste setor tem lutado muito: só no ano de 2015 fizeram duas greves nacionais (em março e em dezembro) e já neste ano fizeram lutas em diversas empresas e a greve nos aeroportos, em agosto passado.

Plenários de mobilização

Atualmente, preparando a jornada de luta deste mês, o STAD está a realizar plenários em diversos locais e empresas. Os plenários que já foram feitos (no Porto, a 10 de outubro, em Lisboa, a 11, e em Faro, a 14) foram bastante participados, outros plenários estão marcados para outras cidades como Faro e empresas, como Securitas, Prosegur, Loomis e Esegur (Veja calendários dos plenários em stad.pt)

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)