Está aqui

Trabalhadores da Sagres fazem greve contra despedimento coletivo

A Central de Cervejas anunciou um despedimento coletivo de 48 trabalhadores enquanto o grupo a que pertence registou mais de três mil milhões de euros em lucros apenas nos primeiro nove meses de 2021.
Como forma de reforço à greve, os trabalhadores vão concentrar-se em protesto no mesmo dia frente à porta da empresa.
Como forma de reforço à greve, os trabalhadores vão concentrar-se em protesto no mesmo dia frente à porta da empresa. Foto de Inácio Rosa, Lusa [arquivo].

Os trabalhadores da Sociedade Central de Cervejas e Bebidas vão estar em greve no próximo dia 25 de Novembro em protesto contra o despedimento coletivo de 48 trabalhadores anunciado pela administração.

Segundo o comunicado do SINTAB, os trabalhadores “foram surpreendidos” com a apresentação do despedimento coletivo, uma decisão que “repudiam” e que “em nada se justifica”.

Segundo os trabalhadores, “continuará a existir a necessidade destes postos de trabalho que, provavelmente, serão passados a empresas de outsourcing”. Esta decisão “visa apenas aumentar os lucros da empresa e não demonstra qualquer preocupação social com a subsistência das 48 famílias envolvidas”, criticam.

O grupo Heineken, de que faz parte a Sociedade Central de Cervejas e Bebidas, duplicou os lucros em 2021 face ao período pré-pandémico, registando 3,082 mil milhões de euros em lucro nos primeiros nove meses deste ano. Mesmo durante o pico da crise, em 2020, o grupo registou lucros de 396 milhões de euros.

“O SINTAB vai continuar a acompanhar, quer coletivamente, quer individualmente estes trabalhadores e está a estudar a possibilidade de impugnação destes despedimentos”, pode ler-se no comunicado do sindicato.

Como forma de reforço à greve, os trabalhadores vão concentrar-se em protesto no mesmo dia frente à porta da empresa.

Termos relacionados Sociedade
(...)