Está aqui

Trabalhadores da Randstad em greve

Os trabalhadores da Randstad reivindicam aumentos salariais e protestam contra a precariedade. Nesta sexta-feira, estão em greve e juntaram-se à manifestação da CGTP, junto ao parlamento, de protesto contra a proposta laboral do governo.
Os trabalhadores da Randstad reivindicam aumentos salariais e protestam contra a precariedade
Os trabalhadores da Randstad reivindicam aumentos salariais e protestam contra a precariedade

Em declarações à Lusa, Paulo Gonçalves, da direção do sindicato nacional dos trabalhadores dos correios e telecomunicações (SNTCT), explicou que os trabalhadores reivindicam aumentos salariais de 2,5%, um subsídio de refeição de sete euros para todos, uma carreira digna e o fim da precariedade.

O sindicalista lembrou também que o salário médio do pessoal da Randstad no setor das telecomunicações é de 580 euros e apenas 17% dos trabalhadores são efetivos.

Sublinhando que a greve está a ter boa adesão, Paulo Gonçalves disse: "acreditamos que a greve vai ter uma grande adesão em todas as operadoras, porque os trabalhadores estão indignados com a posição da empresa e têm manifestado, nos vários plenários feitos, total disponibilidade para fazer todas as greves que forem necessárias".

A greve começou às zero horas e dura até às 24h e abrange mais de 6.000 trabalhadores, que trabalham no setor das telecomunicações nas empresas NOS, Vodafone e MEO.

Termos relacionados Sociedade
(...)