Está aqui

Trabalhadores da Plural conseguem redução de horário e aumentos salariais

Os trabalhadores da Plural e a administração da empresa chegaram a acordo. O sindicato considera que, a partir de agora há uma nova etapa, na Plural e nas restantes empresas, com o objetivo de alcançar regulamentação para todo o setor.
Os trabalhadores da Plural e a administração da empresa chegaram a acordo
Os trabalhadores da Plural e a administração da empresa chegaram a acordo

Segundo a Lusa, o Sindicato dos Trabalhadores do Espetáculo, do Audiovisual e dos Músicos (CENA-STE), divulgou um comunicado, onde refere que “na passada sexta-feira, em plenário, os trabalhadores do Grupo Plural Entertainment (GPE) decidiram fechar acordo com a Administração depois de esta ter aproximado a sua proposta às reivindicações dos trabalhadores”.

O sindicato refere que o acordo prevê:

  • a redução gradual do horário máximo de trabalho, devolvendo quase 500 horas por ano aos trabalhadores;
  • aumentos salariais escalonados beneficiando os trabalhadores com salários mais baixos;
  • que em 2019 as negociações continuarão para que em 2020 e anos seguintes se continuem a recuperar direitos dos trabalhadores e se otimize a necessária reorganização da empresa com o objetivo de atingir as 8h de trabalho diário;
  • garantia de que os trabalhadores freelancers não serão prejudicados pela sua intervenção sindical.

“É certo que este acordo representa um compromisso entre as partes e, do nosso ponto de vista, não faz total justiça a vários anos de horários desregulados e extenuantes e sem aumentos salariais e com condições de trabalho longe das ideais. Mas também é certo que esta conquista é real, fará diferença na vida dos trabalhadores e certamente demonstrará que o audiovisual e particularmente a produção de conteúdos televisivos, não pode viver num mundo à parte das regras laborais do país nem pode continuar a suportar a sua atividade em baixos salários, horários desregulados e em taxas altíssimas de precariedade”, considera o CENA-STE.

Os trabalhadores do GPE, que é responsável pelas telenovelas da TVI, realizaram greve parcial entre 3 e 10 de dezembro, reivindicando planos normais de trabalho, que quase sempre atingem as 11 horas por dia, e aumentos salariais, nomeadamente. Posteriormente, os trabalhadores marcaram nova greve perante o abandono da mesa negocial por parte da produtora, esta viria, porém, a recuar e aceitou negociar, o que possibilitou a concretização do acordo.

Termos relacionados Sociedade
(...)