Está aqui

Trabalhadores da CGD Paris manifestam-se na oitava semana de greve

Este é o segundo de três protestos marcados para esta semana. Trabalhadores manifestam-se contra a alienação da sucursal do banco em França.
Trabalhadores da CGD Paris manifestam-se na oitava semana de greve
Foto de esquerda.net

Os trabalhadores da Caixa Geral de Depósitos em França voltaram a manifestar-se em Paris, naquele que é o segundo protesto desta semana e o quinto “contra a alienação” da sucursal, marcando a oitava semana de greve. O deputado bloquista Moisés Ferreira esteve presente em solidariedade com os trabalhadores.

"Seja megafone, altifalante ou outra coisa qualquer, aquilo que nós queremos é efetivamente dar visibilidade a esta luta e torná-la mais visível também em Portugal porque é preciso que em Portugal se saiba que aqui se está a defender o interesse público", afirmou Moisés Ferreira à agência Lusa, naquela que é já a oitava semana de greve destes trabalhadores.

O deputado acrescentou que vai "recolher o que está a acontecer aqui para levar ao parlamento, para levar ao Governo" e que o Bloco de Esquerda irá endereçar ao governo perguntas sobre a situação da CGD em França. Mais concretamente, o Bloco inquiriu o executivo sobre as ações judiciais movidas contra dirigentes sindicais e contra os membros da comissão de negociação dos trabalhadores em greve.

"Para nós é injustificável e inadmissível que qualquer administração atue desta forma, tentar intimidar e tentar fazer tábua rasa dos direitos do trabalho. Portanto, sendo inadmissível, nós vamos exigir junto do Governo e da Assembleia da República que seja tomada uma posição quanto a esta posição de força da administração da Caixa Geral de Depósitos”, disse o deputado.

O Bloco de Esquerda já questionou o governo de António Costa sobre a alienação da sucursal francesa da CGD e sobre o movimento de greve, mas "o Governo ainda não deu resposta".

Cristina Semblano, porta-voz da intersindical FO-CFTC, informou que uma pequena delegação de trabalhadores em greve irá ser recebida em Belém no dia 21 de junho. Esta reunião com assessores para os assuntos do trabalho e para a economia surge na sequência do pedido de audiência urgente com o Presidente da República feito a 29 de maio.

"A França é um país que tem uma imigração portuguesa muito importante, de mais de um milhão de pessoas. Por conseguinte, nós estimamos que a sucursal de França deve ser mantida no perímetro das instituições da Caixa Geral de Depósitos. É um ativo que não deve ser alienado. Dirigimo-nos ao Presidente da República porque temos sentido sempre, desde a sua eleição, que a emigração é algo que o preocupa", afirmou Cristina Semblano.

Está marcado um terceiro protesto para esta semana, junto à Embaixada de Portugal em França, no mesmo dia em que terá lugar uma receção de comemoração do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Estão também previstas mais manifestações para a próxima semana.

Termos relacionados Sociedade
(...)