Está aqui

Touradas: transmissão televisiva em horário tardio e fim dos apoios públicos

Bloco de Esquerda apresentou dois projetos de lei que pretendem pôr fim a qualquer financiamento público a touradas e regular ainda mais a transmissão televisiva das mesmas.

O Bloco de Esquerda apresentou dois projetos de lei com novaas alterações à lei sobre touradas. O primeiro projeto pretende que os espetáculos tauromáquicos passem a ser considerados suscetíveis de influenciarem negativamente a formação de crianças e adolescentes. A segunda proposta visa pôr fim ao financiamento público das touradas e limitar a transmissão televisiva para horários mais tardios que o atual e com bolinha vermelha no canto do ecrã.

A primeira proposta designa os "espetáculos tauromáquicos como suscetíveis de influírem negativamente na formação da personalidade de crianças e adolescentes" e a outra "impede o apoio institucional à realização de espetáculos que inflijam sofrimento físico ou psíquico ou provoquem a morte de animais".

“Os espetáculos que na sua preparação ou realização incluam atos de violência física ou psicológica (como a privação de comida) relativamente a animais implicam, necessariamente, a imposição de sofrimento aos mesmos”, lê-se num dos projetos de lei do Bloco.

“Um número crescente de estudos demonstra que a exposição pública de touradas parece causar um impacto emocional negativo em quem assiste, com particular incidência nos níveis de agressividade e ansiedade das crianças", pelo que a sua qualificação como espetáculos suscetíveis de influenciar negativamente crianças e jovens é relevante. Também por esse motivo é defendida a limitação da transmissão de touradas ao período entre as 22:30 e as 6:00 da manhã.

O Bloco de Esquerda também considera que "nenhum recurso ou apoio público pode contribuir para este tipo de práticas", propondo assim o fim dos apoios autárquicos a estes eventos e mesmo a transmissão da “Grande Corrida TV” organizada pela RTP1. "Se a RTP tem financiamento público, esse financiamento não pode financiar touradas, pode ser antes dirigido para projetos de bem-estar animal", afirmou Maria Manuel Rola.

Estes dois projetos de lei têm discussão marcada para 6 de julho no parlamento, numa iniciativa do PAN, que também apresentará projeto de lei próprio. Em relação ao projeto de lei deste partido e em declarações ao Diário de Notícias, a deputada bloquista Maria Manuel Rola considera que "a forma de concretizar [a abolição das touradas] tem de ser mais pragmática". A deputada considera que os dois projetos do Bloco de Esquerda “acrescentam a forma” para se poder evoluir para a abolição das touradas: retirando o financiamento e outros apoios públicos e passando a sua difusão televisiva para horas mais tardias.

Termos relacionados Sociedade
(...)