Está aqui

Todas as crianças devem ter acesso ao sistema educativo público

Para Joana Mortágua, “o problema das creches em Portugal é que são vistas como assistência à família, como resposta social, quando deviam ser incluídas no sistema público de educação, reconhecendo à criança o direito de frequentar uma creche”.

A dirigente bloquista assinalou que, em 35 dos concelhos portugueses, oito em cada dez crianças não têm vagas em creches, acrescentando ainda que “há pouca coisa que diga tanto sobre desigualdade como o facto de ser mais caro pôr um jovem numa universidade, inclusive, em alguns casos, numa universidade privada, do que pôr uma criança numa creche”.

Joana Mortágua assinalou ainda a “dimensão de género”: “Quando, em média, uma creche custa trezentos euros e uma mãe ganha o salário mínimo, as contas que se fazem lá em casa nós sabemos quais é que são. E depois andamos aqui a fazer contas sobre o impacto de género que têm as políticas que adotamos”, vincou.

“As creches em Portugal são vistas como assistência à família, como resposta social, quando, na verdade, deviam ser incluídas no sistema público de educação, por forma a reconhecermos à criança o direito de frequentar uma creche”, com as consequências que aí advêm na sua inclusão social e educativa, acrescentou a deputada.

Sobre a proposta do cheque creche, que é atribuído apenas ao segundo filho, Joana Mortágua referiu que esta medida, “em vez de intervir na oferta, apenas alimenta as rendas dos privados”.

 

(...)