Está aqui

Sindicato apresenta resultado do acordo salarial com petrolíferas

A revisão salarial no acordo coletivo de trabalho celebrado entre a Fiequimetal e várias petrolíferas permitiu aumentos entre 1.5% e 1.55% com efeitos retroativos a janeiro.
petrogal
Foto Estela Silva/Lusa

A federação de sindicatos Fiequimetal, afeta à CGTP, divulgou junto dos trabalhadores o resultado da negociação sobre aumentos salariais com as empresas BP Portugal, Cepsa Portuguesa, Petrogal, Repsol Portuguesa, Repsol Gás Portugal, Tanquisado e CLC (Companhia Logística de Combustíveis).

O acordo permite aumentos nos salários deste ano entre 1.5% e 1.55%, fixando um salário mínimo de 739 euros. O valor dos aumentos das retribuições mínimas mensais varia entre os 11 euros para os trabalhadores do escalão mais baixo e os 44 euros para o escalão mais alto. Os trabalhadores da Petrogal, onde vigora um Acordo de Empresa publicado a 22 de setembro, mantêm as condições mais favoráveis que resultaram da negociação desse acordo.

Nas empresas abrangidas por este Acordo Coletivo de Trabalho fica também incluída, com efeito retroativo ao primeiro dia de 2019, “uma atualização dos valores nas várias cláusulas com expressão pecuniária: pagamento por deslocação, subsídios (alimentação, turnos, horário móvel e horário desfasado, entre outros), diuturnidades, transporte de mercadorias perigosas, seguros e descendentes com deficiências psicomotoras”.

No comunicado, a Fiequimetal salienta que “mais e melhores resultados são possíveis com mais participação dos trabalhadores, mais unidade em torno de objetivos comuns e mais sindicalização”.

Termos relacionados Sociedade
(...)