Está aqui

Serviços de Utilização Comum dos Hospitais em greve por melhores condições laborais

A FESAHT – Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal convocou uma greve para dia 29 de julho, para exigir aumentos salariais e redução do horário.
Fotografia: site da CGTP.
Fotografia: site da CGTP.

A última reunião de negociações realizada com a administração do SUCH - Serviço de Utilização Comum dos Hospitais e a FESAHT, no dia 3 de julho, não teve os resultados desejados pelos trabalhadores. A administração do SUCH recusou aumentar os salários a quem aufere um rendimento superior a 617 euros por mês.

A FESAHT recusou a proposta de congelamento salarial do SUCH, considerando-oa uma afronta aos trabalhadores que recebem salários tão baixos. Isistiu com o SUCH para que alterasse a sua proposta, mas a situação manteve-se.

De acordo com o site da CGTP, o SUCH só quer dar aumentos salariais aos trabalhadores que recebem entre 600 e 617 euros para estabelecer o salário mínimo no SUCH nos 618 euros. O sindicato considera esta proposta inaceitável.

Face a esta posição intransigente e inaceitável por parte do SUCH, a FESAHT convocou uma greve para dia 29 de julho, durante todo o dia, pelos seguintes motivos:

- Aumentos salariais justos e dignos para todos os trabalhadores;

- Pagamento do trabalho ao fim de semana com um acréscimo salarial;

- Pagamento do um subsídio de risco para os trabalhadores que desenvolvem atividades de risco;

- Redução do Horário de trabalho para as 35 horas semanais.

O governo estabeleceu os 635 euros como salário mínimo na função pública. Assim, a FESAHT exige intervenção do governo para que intervenha e obrigue a administração do SUCH a aumentar os salários dos trabalhadores.

A direção da FESAHT exorta à unidade e mobilização dos trabalhadores para a greve dia 29 de julho e para a participação nas concentrações públicas que os sindicatos vão realizar neste dia a nível regional.

Termos relacionados Sociedade
(...)