Está aqui

Salvini será julgado em Itália por bloqueio de migrantes em navio

Em 2019, enquanto ex-ministro do Interior, Salvini bloqueou o desembarque de refugiados a bordo do navio humanitário “Open Arms”. O julgamento terá início a 15 de setembro.

A deliberação do juiz do Tribunal de Palermo (Sicília) confirmou que a acusação do Ministério Público ao líder da extrema-direita italiana irá a julgamento, com início a 15 de setembro deste ano. A defesa do ex-Ministro do Interior defende que a decisão terá sido tomada pelo conjunto do governo, não apenas do titular da pasta, uma defesa que não foi acolhida pelo Juiz.

Matteo Salvini integrava um governo de coligação com o Movimento 5 Estrelas (M5S) como vice-primeiro-ministro e Ministro do Interior.

Salvini aplicou uma "política de portos fechados", impedindo o desembarque de migrantes em território italiano. Em agosto de 2019, Salvini recusou que cerca de 150 migrantes resgatados que estavam a bordo do navio humanitário "Open Arms", bloqueado na altura ao largo da ilha de Lampedusa, pudessem desembarcar num porto seguro, neste caso, num porto italiano. Estas pessoas ficaram bloqueadas em alto mar mais de 20 dias, relembra o Expresso.

Foi necessária a intervenção do Ministério Público italiano para que os 83 migrantes que ainda permaneciam a bordo do navio desembarcassem em Lampedusa. Vários migrantes do grupo bloqueado tinham sido retirados antes devido a situações específicas, enquanto outros pularam para o mar para alcançar a costa a nado.

A ONG catalã Proativa Open Arms saudou a decisão do juiz da instância de Palermo. "Estamos felizes por todas as pessoas que resgatámos durante a 65.ª missão e em todos estes anos. A verdade do Mediterrâneo é só uma, estamos no mar para a contar", frisou a ONG.

Termos relacionados Internacional
(...)