Está aqui

Salvaterra de Magos: Bloco contesta privatização da Escola Profissional

O executivo socialista da Câmara de Salvaterra de Magos chumbou a proposta de manutenção da Escola Profissional do concelho na esfera municipal, detida a 50% pela autarquia.
Escola Profissional de Salvaterra de Magos. Foto Câmara Municipal de Salvaterra de Magos.

A Escola Profissional de Salvaterra de Magos (EPSM) conta com cerca de 400 alunos, distribuídos por 14 turmas do 9º ao 12º ano, para além de cerca de trinta professores e vinte funcionários. Os cursos oferecidos, dos quais se destaca o de hotelaria, têm possibilitado a realização de estágios em empresas da região, bem como a colocação, ao abrigo do Programa Erasmus+, em estágios por toda a União Europeia.

Face às intenções do executivo camarário em alienar os 50% que detém da EPSM à empresa Convergência, Lda., proprietária dos restantes 50%, o Bloco de Esquerda apresentou uma proposta na última reunião de Câmara no sentido de assegurar “a manutenção da EPSM na esfera pública do município de Salvaterra de Magos”.

A maioria socialista na autarquia recusou esta proposta, bem como a de proceder à “urgente avaliação patrimonial da EPSM”. A concelhia do Bloco de Esquerda de Salvaterra de Magos diz que “tudo fará para assegurar a permanência do ensino profissional no concelho, constituindo um objetivo estratégico mantê-lo na esfera municipal, de modo a que integre uma política de promoção da empregabilidade qualificada, especialmente dirigida para a juventude, e garantindo que o interesse público não seja colocado em causa em função de conjunturas económicas ou de interesses particulares”.

Termos relacionados Política
(...)