Está aqui

Síria: Primeiro-ministro demitido pode ter passado para a oposição

Segundo a agência Sana, o primeiro-ministro Riyad Hijab foi demitido por Bashar Assad. Segundo a Al Jazeera, Riyad Hijab abandonou o cargo para se juntar à oposição, tendo fugido para a Jordânia.

A Sana, agência oficial do regime de Bashar Assad, anuncia no seu site que o primeiro-ministro Riyad Hijab foi demitido pelo presidente da Síria e foi substituído por Omar Galawanji, não sendo dada qualquer justificação oficial para a demissão.

Segundo a Al-Jazeera, Riyad Hijab desertou e fugiu com a sua família para a Jordânia, para se juntar à oposição. O seu ex-porta-voz, Mohamed al Etri, confirmou esta informação à cadeia de televisão do Qatar e leu um comunicado de Riyad Hijab, onde este declara: “Quero anunciar hoje a minha deserção do regime terrorista e assassino e anuncio que passo a fazer parte das fileiras da revolução pela dignidade e a liberdade. Anuncio que a partir de hoje serei mais um soldado desta bendita revolução”.

Riyad Hijab, militante do partido Baas desde 1998, foi nomeado por Bashar Assad primeiro-ministro da Síria a 23 de Junho de 2012, após as eleições parlamentares de Maio passado.

O seu ex-porta-voz afirmou hoje que em junho passado Riyad Hijab só tinha duas opções, “ou aceitava o cargo ou morria”, mas que ele “tinha uma terceira opção em mente: planear a sua deserção para dar um grande golpe no regime, a partir de dentro”. Segundo Mohamed al Etri, a fuga estava planeada “há dois meses”, Hijab saiu da Síria com os seus oito irmãos e outras dez famílias e a sua deserção foi levada a cabo “em colaboração com o Exército Sírio Livre”.

Mohamed al Etri disse ainda, na entrevista: “Hoje, o regime reagirá de maneira histérica. Matará mais gente... qualquer oficial disposto a desertar deve atuar com cautela, devem cuidar de si próprios e das suas famílias porque o regime só fala uma língua: a língua do sangue”.

Segundo a Al-Jazeera, juntamente com Riyad Hijab fugiram “numerosos altos cargos da Segurança”.

Termos relacionados Internacional
Comentários (1)