Está aqui

Ryanair mantém-se em Faro mas despede dezenas de trabalhadores

A empresa de aviação low-cost tinha colocado a possibilidade de fechar a sua base de Faro. Num acordo mediado pelo governo, decidiu manter as operações mas reduzir voos e trabalhadores. Para além disso, a ligação Lisboa-Porto acaba em outubro. Em contrapartida, a ANA vai cortar taxas aeroportuárias.
Avião da Ryanair no Aeroporto de Faro em 2008.
Avião da Ryanair no Aeroporto de Faro em 2008. Foto de Pedro Aragão. Wikicommons.

A Ryanair ameaçou acabar com a base aérea de Faro e conseguiu obter um acordo. Com a mediação do governo, a ANA-Aeroportos comprometeu-se a atribuir-lhe taxas aeroportuárias mais vantajosas.

Em troca, a companhia low-cost, que confirmou o final da ligação Lisboa-Porto a partir de 25 de outubro, promete não encerrar a base de Faro e manter dois dos três aviões que estão aí alocados.

A operadora aeroportuária justifica a redução de taxas no período do Inverno com a vontade de tornar “a operação ao longo de todo o ano mais atrativa para os operadores”. Em declarações ao Dinheiro Vivo, fonte da Ana confirma que está a fazer um “esforço” para “manter a base da única companhia que opera em Faro todo o ano”.

Esta redução das operações da Ryanair, porém, vai implicar dezenas de despedimentos. Em comunicado, o presidente da empresa, Michael O’Leary, confirma isso mesmo: “apesar deste acordo preservar a maioria dos empregos de pilotos e assistentes de bordo em Faro este inverno, a redução da base de três para dois aviões no inverno vai provocar a perda de 80 empregos entre os nossos assistentes de bordo em Faro. Contudo, o número final de despedimentos pode ser reduzido para menos de 50 se alguns destes assistentes de bordo aceitarem lugares vagos na rede da Ryanair na Europa”. O’Leary culpa “a entrega atrasada de mais de 30 aviões Boeing MAX à Ryanair este inverno” pela saída destes trabalhadores.

Em declarações ao Jornal Económico, o tom da empresa é diferente. Os trabalhadores efetivos para não ter razões para ficar tranquilos e o futuro desta base a médio prazo continua posto em causa: “a continuação da base de Faro pode ser possível com o acordo dos assistentes de bordo da Ryanair em passarem para contratos sazonais para refletir a natureza sazonal de e para o Algarve”.

Termos relacionados Sociedade
(...)