Está aqui

Restos mortais do ditador Francisco Franco exumados em Madrid

Após uma guerra judicial com a família de Franco, os seus restos mortais foram finalmente retirados da Basílica do Vale dos Caídos. Apesar de proibido, apoiantes fascistas concentraram-se às portas do cemitério para o qual foi transportado.
Restos mortais do ditador Francisco Franco exumados em Madrid

Os restos mortais do ditador Francisco Franco foram exumados esta quinta-feira do Vale dos Caídos e trasladados para um cemitério nos subúrbios de Madrid. Este processo ocorre no âmbito da Lei da Memória Histórica, aprovada em 2017 pelo Congresso do Estado espanhol e ocorrerá sem bandeiras ou quaisquer honras militares.

A retirada dos restos mortais de Francisco Franco da Basílica do Vale dos Caídos fora uma das primeiras ações do Governo do PSOE quando tomou posse em 2018 e vem sido adiada desde o verão desse mesmo ano, numa batalha judicial entre o Governo e os familiares e saudosistas da ditadura.

Devido ao risco “de elevados problemas de ordem pública”, o Governo do Estado espanhol proibiu uma concentração promovida pela Fundação Francisco Franco, que tinha apelado às pessoas para que se desloquem ao cemitério para o qual os restos mortais do ditador serão trasladados, bem como outra convocada pela Associação Reivindicativa da Memória Histórica Raízes, também de extrema-direita.

Porém, essa proibição não impediu os apoiantes fascistas de se deslocarem de facto à porta do cemitério nos subúrbios de Madrid para o qual foram transportados os restos mortais. Antonio Tejero, golpista condenado pela tentativa de golpe de estado de fevereiro de 1981, conhecido como 23-F, marcou presença na exumação e foi recebido com aplausos pelos fascistas presentes.

A Fundação de apoio ao ditador argumentava que a concentração tinha por objetivo homenagear “quem tanto fez pela Espanha e pela sua grandeza” e apelou a que se “encha o panteão de flores e orações”.

Dentro da basílica do Vale dos Caídos só estarão os trabalhadores estritamente necessários para extrair a laje que cobre a tumba, um médico legisla, o ministro da Justiça como notário superior do reino e responsável pela elaboração do registo da exumação e os familiares do ditador que tenham demonstrado interesse em comparecer. Não poderão ser captadas imagens.

Franco, envolvido no golpe de Estado de 1936 que deu origem à Guerra Civil Espanhola, foi ditador de Espanha até morrer, em 1975, na altura em que se deu uma transição para um sistema democrático.

O Vale dos Caídos, situado a 40 quilómetros de Madrid, é um complexo de edifícios de grande dimensão idealizado e erigido por Francisco Franco para homenagear os mortos da Guerra Civil espanhola, estando o túmulo do ditador colocado ao lado do de José António Primo de Rivera, fundador do partido fascista Falange. Inaugurado em 1959, é visto como símbolo da exaltação da ditadura franquista.

De acordo com o noticiado pelo jornal Financial Times, no último mês o monumento teve um número de visitantes acima do habitual. Apoiantes da ditadura fascista terão ido à Basílica do Vale dos Caídos para se "despedirem" do ditador.

Termos relacionados Internacional
(...)