Está aqui

Responsável financeiro das empresas de Trump assume fraude fiscal

Allen Weisselberg declarou-se culpado de mais de uma dezena de crimes no esquema que permitiu às empresas do ex-Presidente dos EUA escaparem ao fisco durante anos.
Allen Weisselberg numa audiência em tribunal em 2021. Foto Seth Wenig/EPA

Após um ano de pressão do procurador de Manhattan para cooperar com a justiça e implicar Donald Trump nos crimes fiscais do seu império empresarial, Allen Weisselberg chegou a um acordo para se declarar culpado de vários crimes, incluindo não declarar o recebimento de ofertas de Trump e das empresas na forma de renda de apartamentos e automóveis de luxo e o pagamento das propinas dos netos num colégio privado.

Aos 75 anos, o responsável financeiro do conglomerado das empresas de Donald Trump vai escapar a uma pena que podia ir até 15 anos na prisão. Acabará por pagar dois milhões de dólares em multas, impostos e juros e ser provavelmente condenado a uma pena de cinco meses de prisão, reduzidas a metade em caso de bom comportamento. Em troca, além de admitir esses crimes, Weisselberg irá testemunhar no julgamento da Trump Organization em outubro a favor da acusação.

O acordo com a justiça acabou por ser uma meia vitória para o procurador, que não conseguiu quebrar a lealdade de Allen Weisselberg face a Donald Trump. Segundo o New York Times, nas negociações deste acordo de admissão de culpa foi sempre afastada a possibilidade de o alto executivo da empresa trair o antigo patrão que serviu ao longo de meio século.

Além do julgamento da sua empresa, que terá lugar a poucos dias das eleições intercalares nos EUA, Donald Trump é ainda visado noutros processos relacionados com a tentativa de invalidar os resultados das presidenciais de 2020 em que foi derrotado, a forma como tratou documentos classificados após sair da Casa Branca, a sua intervenção no contexto do ataque ao Capitólio em janeiro de 2021, além de várias investigações sobre fraude fiscal.

Termos relacionados Internacional
(...)