Está aqui

Repórter agredido por organização de tourada durante protesto contra a iniciativa

Ao tentar entrevistar a organização da tourada em Baião, o repórter do Porto Canal foi agredido. Presente na manifestação anti-tourada, Maria Manuel Rola garantiu que o Bloco “não desiste de pôr fim ao sofrimento animal” e frisou que “temos que fechar a torneira do financiamento público” a estas iniciativas.
Protesto anti-touradas em Baião.
Protesto anti-touradas em Baião.

Na tarde de sexta-feira, realizou-se uma tourada em Baião, no âmbito das Festas Concelhias e de São Bartolomeu. A iniciativa foi alvo de um protesto organizado pelo Movimento pela Abolição da Tauromaquia de Portugal (MATP) que contou com a presença do maestro Victorino de Almeida e da deputada bloquista Maria Manuel Rola, entre outros.

O maestro descreveu a tauromaquia como uma tradição “repelente”, comparando-a à “tradição da violência doméstica”, sendo “defendida como tal por quem a pratica”.

Já Maria Manuel Rola garantiu que o Bloco “não desiste de pôr fim ao sofrimento animal”. Temos que fechar a torneira do financiamento público a espetáculos de tortura animal”, frisou.

Durante o protesto, o repórter do Porto Canal foi agredido pela organização da tourada, quando tentava recolher declarações por parte da mesma.

Entretanto, um grupo de pessoas saiu da praça de touros para confrontar os manifestantes, obrigando à intervenção da GNR.

 

Termos relacionados Sociedade
(...)