Está aqui

A reboque da inovação e digitalização não pode vir a desregulação do trabalho

“Considerando a falta de concretização do programa de Governo e de muita proclamação com o combate à precariedade”, Isabel Pires questionou o ministro da Economia sobre “como pretende articular a digitalização e inovação com a garantia de direitos laborais e combate efetivo às desigualdades”.

Sublinhando que, “desde há uns anos a esta parte, é óbvia a importância que as novas tecnologias, a digitalização e a inovação terão para o futuro”, a deputada bloquista assinalou que “é no presente que se prepara, desde já, a economia portuguesa para os impactos que terá”.

“Não sendo um debate novo, ele tem falhado na parte da proteção dos direitos do trabalho”, frisou. 

Referindo-se a propostas como o estímulo ao trabalho à distância, Isabel Pires defendeu que não se pode “avançar para algo assim de ânimo leve, como se tal não tivesse implicações negativas para algo que tanto se lutou para conseguir: direitos do trabalho”. 

“A reboque da inovação e da digitalização não pode vir a desregulação do trabalho ou sequer o aprofundar de desigualdades territoriais e sociais”, vincou, questionando o ministro do Trabalho: “considerando a falta de concretização do programa de governo e de muita proclamação com o combate à precariedade, como pretende articular a digitalização e inovação com a garantia de direitos laborais e combate efetivo às desigualdades?”.

 

(...)