Está aqui

Reações internacionais à morte de Miguel Portas

Neste artigo transcrevemos as reações e notas de condolência de várias individualidades, forças políticas e organismos internacionais. (última atualização 08.05.20121 às 16h25).

Gilberto Gil Umbelina, Presidente do Movimento Socialista (MS) de S. Tomé e Príncipe
“Em meu nome pessoal,amigo do Miguel e companheiro de muitas batalhas cívicas e políticas em Portugal durante muitos anos, e de todos os militantes de
Movimento Socialista (MS) de S. Tomé e Príncipe,as nossas profundas
condolências a todos seus camaradas do "Bloco Esquerda" e à família enlutada
nesta hora de dor e de pesar, pelo desaparecimento físico de um grande
combatente da liberdade”.

Iafai Sani, Presidente da Direção da Célula do P.A.I.G.C. em Portugal
“Ao Camarada Francisco Lousã
Coordenador do Bloco de Esquerda
Foi com profunda consternação que a Direção da Célula do P.A.I.G.C. em Portugal recebeu a triste e surpreendente notícia do desaparecimento físico do nosso estimado camarada, destacado Militante e Dirigente do Bloco de Esquerda e Eurodeputado, Dr. Miguel Portas.
Figura incontornável da vida política portuguesa e europeia, um lutador incansável pela sagrada causa da libertação, emancipação e bem-estar do seu povo, o camarada Miguel Portas deixou-nos um rico legado histórico e político e ficará para sempre na nossa memória como um homem de paz e do diálogo, um patriota humilde, um defensor intransigente da igualdade e justiça social, um humanista que nunca deixou de lutar incansavelmente pela causa em que sempre acreditou e pela qual dedicou toda a sua energia, seu intelecto e sua vida inteira.
O desaparecimento físico do camarada Miguel Portas constitui uma perda irreparável não só para a esquerda portuguesa e europeia, mas para toda a família política socialista. E, neste momento de muita dor e angústia que invadem e dilaceram os nossos corações, em nome de todos os seus Militantes e Simpatizantes e o nosso povo, em geral, a Direção da Célula do P.A.I.G.C. em Portugal vem por este meio vos expressar e a toda a família enlutada, as suas sentidas condolências e rezar para que a sua Alma descanse em Paz”.

AHAMED FAL, delegação da Frente Polisario para Portugal
“É com profunda tristeza que a Frente POLISARIO tomou conhecimento do falecimento do eurodeputado e líder do Bloco de Esquerda, Miguel Portas.
E não podemos deixar de referir que Miguel Portas sempre se mostrou um acérrimo defensor da causa do Povo Saharauí, do seu direito à autodeterminação e do respeito dos Direitos Humanos no Sahara Ocidental ocupado por Marrocos desde 1975.
Miguel Portas sempre foi uma voz amiga junto e pelo Povo Saharauí, participando, quer a nível pessoal, quer como eurodeputado em várias campanhas políticas pela nossa causa e pela causa dos Direitos Humanos, nomeadamente na ação de solidariedade pelo protesto levado a cabo pela activista Aminetu Haidar.
Nesta hora de luto, a Frente POLISARIO, através da sua representação em Portugal, apresenta as condolências à família pessoal e política de Miguel Portas, o relembrando como um homem profundamente generoso”.

Ramdan Mesaud, Associação Saharaui para a Defesa dos Direitos Humanos
“Estimados companheiros,
No Sahara Ocidental recebemos com grande pesar e tristeza a triste notícia do falecimento do companheiro eurodeputado e membro do Bloco de Esquerda Miguel Portas, grande defensor dos direitos legitimos do nosso povo.
Por isso quis fazer chegar à sua grande família do Bloco e à sua família, em nome próprio e de em nome de todos os que compomos esta associação, as nossas mais sentidas condolências por esta infeliz perda que também consideramos que é nossa perda.
Que descanse em paz o nosso inesquecívelo companheiro Miguel Portas que sempre estará presente nas nossas memórias.
Uma saudação cordial nestes momentos difíceis companheiros.”

Pedro Pinto Leite, IPJET- International Platform of Jurists for East Timor
“Foi com incredulidade e extremo pesar que soube da morte de Miguel Portas. Conheci-o há poucos anos, creio que foi a Ana Gomes que nos apresentou. Encontrei-me com ele apenas algumas vezes, e sempre no Parlamento Europeu, mas já o via como um amigo.
A sua dedicação à causa do Saara Ocidental era total e inspiradora. A última vez que falei com ele foi por causa da campanha contra a prorrogação do famigerado acordo de pescas entre a União Europeia e Marrocos. Para ele, a União Europeia estava a comportar-se como um receptador de bens roubados, um comentário idêntico ao que o Prof. Roger Clark fez, a propósito do não menos famigerado Tratado do Timor Gap, entre a Austrália e outra potência ocupante ilegal, a Indónesia. Numa declaração à imprensa, Miguel Portas foi contundente: "As actividades ilegais e imorais da UE em águas do Saara Ocidental são pouco menos que um roubo". Aquele apelo à legalidade traduziu-se, como é sabido, numa grande vitória: em Dezembro passado o Parlamento Europeu  rejeitou a prorrogação do protocolo ao acordo e instou a Comissão Europeia a respeitar, num futuro protocolo, o direito internacional e os direitos do povo saarauí.
Recordo também a grande satisfação com que soube da sua visita, na companhia de outros três eurodeputados (Willy Meyer, João Ferreira e Raul Romeva i Rueda) à activista Aminatou Haidar, a "Ghandi saarauí", em greve de fome no aeroporto de Lanzarote. Aquele gesto de solidariedade, a que José Saramago também se associou, pesou sem dúvida na resolução do problema, criado pela prepotência marroquina e a conivência espanhola, e Aminatou regressou em triunfo à sua terra natal.
O panorama político português já era pobre. Com a morte de Miguel Portas, Portugal fica muito, muito mais pobre.
Os meus sentidos pêsames, também em nome da Plataforma Internacional de Juristas por Timor Leste, à família e amigos deste grande Homem".

José Ignacio Korzeniak, Embaixada do Uruguay
“Ex.mos Senhores
Desejo manifestar o meu pesar pela notícia conhecida do falecimento do Dr. Miguel Portas, fundador do Partido Bloco de Esquerda.
Em nome da Embaixada do Uruguai e em meu próprio nome apresento as mais sentidas condolências a toda da direcção do Partido e à Família.
Atentos cumprimentos”.

Obituário publicado no Jornal La Vanguardia (Artigo de ANXO LUGILDE)
“A utopia portuguesa
Miguel Portas (1958-2012)
O Eurodeputado português Miguel Portas morreu na terça-feira, aos 53 anos, convencido de que Portugal tem futuro e, de que é possível a unidade da esquerda para democratizar a União Europeia. Foi a ultima dupla utopia de uma figura fundamental da evolução recente da esquerda portuguesa, um dos fundadores do Bloco de Esquerda e um dos seus rostos mais conhecidos. Miguel era para os portugueses 'o Portas da esquerda', em contraposição com o da direita, o seu irmão Paulo, líder do CDS-PP e atual Ministro dos Negócio Estrangeiros.
'Foi um pensador e um homem de ação, de combate que luto sempre com lucidez, com alegria e energia', declarou à RTP o historiador Fernando Rosas, outro dos fundadores do Bloco, que, no final dos anos 90, aglutinou toda a extrema-esquerda à margem do partido Comunista, partido ao qual pertenceu Portas, economista de formação e jornalista de profissão.
Um desses combates do eurodeputado do Bloco foi o que levou a cabo desde 2009, no Parlamento de Estrasburgo, para que os membros desta câmara viajassem em classe turística nos trajetos de avião dentro do continente. 'Já não estou só', disse Portas em 2011, quando a sua quase perpétua emenda para deixar de pagar os bilhetes de primeira classe recebeu mais de 200 votos e gerou uma grande polémica nestes tempos de austeridade. Em 1999, depois da criação do Bloco, Miguel Portas foi o seu primeiro candidato, como cabeça de lista ao Parlamento Europeu. Conseguiu 1.8% dos votos e não foi eleito. Em 2004 conseguiu esse facto com 4.9%, e em 2009 foi eleito com mais dois companheiros com 10.7%. Mas agora o Bloco está em crise, depois de perder nas legislativas de 2011 metade dos seus deputados. E Portas deixa um vazio difícil de preencher.
'Era extremamente inteligente, intelectualmente honesto, sem vícios sectários, e culto como é raro na política', explica o jornalista Paulo Pena”.

Armindo Maurício, Secretário-Geral do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV)
“Em nome do Secretariado Geral do PAICV, e em meu nome próprio, vimos expressar a V. Exa, as nossas mais sentidas condolências pelo desaparecimento físico do ilustre eurodeputado Miguel Portas, ativista marcante da vida política portuguesa e defensor dos ideais da democracia, justiça social e liberdade, causa em prol da qual combateu o antigo regime fascista e colonialista português.
A personalidade que foi o Dr. Miguel Portas será sempre recordada pelo sentido do dever com que sempre se dedicou à causa política, mesmo nos últimos anos de vida, em que já padecia de doença que o vitimou.
Neste momento de pesar, rendemos uma justa homenagem à sua memória, prestando a nossa solidariedade aos colegas que com ele privaram”.

Jorge Faurie, embaixada da Argentina
“Pretendemos, por este meio, fazer chegar a toda a Direção mas também aos militantes do Bloco de Esquerda os nossos sentimentos de pesar pelo falecimento do deputado Miguel Portas que, além da sua trajetória política, é um dos fundadores do vosso Movimento.
Pelo conhecimento pessoal dele mas também por todas as referências vindas a lume nestas circunstâncias tão tristes não ficam dúvidas estarmos perante uma personalidade marcante que deixa um nítido traço nas ideias e na luta política mas, sobretudo, no planos pessoal como homem e como dirigente inspirador.
Lamentando este desaparecimento, receba os pêsames de quem integra esta Embaixada.
Com o meu respeito”

Embaixada do Principado de Andorra em Portugal
“A Embaixada do Principado de Andorra em Portugal apresenta os seus melhores cumprimentos ao Bloco de Esquerda, e vem por meio desta nota endereçar à família enlutada e ao Partido as suas sentidas condolências e o seu profundo pesar pelo falecimento do eurodeputado e fundador do Bloco de Esquerda, Exmo. Senhor Miguel de Sacadura Cabral Portas, no passado dia 24 de Abril de 2012.
A Embaixada do Principado de Andorra em Portugal aproveita esta ocasião para reiterar ao Bloco de Esquerda os protestos (sic) da sua mais elevada consideração”.

 Ivan Valente, Presidente do PSOL, e Afrânio Boppré, Secretário de Relações Internacionais PSOL

“Faleceu no último dia 24 de abril, aos 53 anos, o jornalista, dirigente e fundador do Bloco de Esquerda de Portugal, Eurodeputado e militante socialista, Miguel Portas. Nascido no dia 1 de maio, Miguel Portas dedicou a sua vida à construção de um Portugal livre e uma Europa unida pelos laços da fraternidade e justiça que inspiraram a sua luta por um socialismo democrático. Ao perder Miguel Portas, a esquerda portuguesa e europeia perdem uma voz potente em defesa dos trabalhadores. Contudo, o seu exemplo inspirará milhares de lutadores sociais a seguir o combate em defesa de uma Europa livre, democrática e socialista. O Partido Socialismo e Liberdade - PSOL, do Brasil, expressa seu pesar, ao mesmo tempo em que rende sua homenagem a Miguel Portas e se solidariza com seus familiares e com os companheiros e companheiras do Bloco de Esquerda.
Miguel Portas: Presente!”

Iole Ilíada, Secretária de Relações Internacionais do Partido dos Trabalhadores (Brasil)
“Prezadas companheiras e companheiros do Bloco de Esquerda,

O Partido dos Trabalhadores expressa o seu pesar pelo falecimento do companheiro Miguel Portas, dia 24 de abril em Bruxelas.
A sua militância pela democracia e pelos ideais solidários de esquerda permanecerão connosco.
Queiram por gentileza transmitir nossas condolências aos familiares e amigos
do companheiro Miguel Portas”.

Organização de Defensores Saharauis 2ª Geração (ODS 2ª Geração)
“A Organização de Defensores Saharauis 2ª Geração (ODS 2ª Geração), que exerce o seu trabalho nos territórios ocupados do Sahara Ocidental, foi informada do falecimento do eurodeputado Miguel Portas, grande amigo do nosso povo saharaui. Um grande amigo e um dos mais brilhantes no seu apoio à causa justa por qual lutamos há mais de quatro décadas.
Hoje, ainda que o seu corpo tenha sido enterrado em terras portuguesas, a sua alma irá acompanhar-nos e a todos os outros povos que sofrem a injúria dos que vivem por cima dos direitos legais dos povos indefesos e dominados injustamente, até que alcancemos o sonho que sempre nos desejou o nosso grande amigo Miguel Portas.
Por isso, enviamos os nossos pêsames a toda a sua família do Miguel, que descanse em paz, e aos camaradas de luta do Bloco de Esquerda, e asseguramos-lhes que o luto nos cobre a todos, mas que a melhor homenagem ao nosso grande amigo Miguel Portas é continuar a luta e recordarmos sempre o seu bom exemplo no que respeita à fidelidade para com as causas justas”.

Alain Krivine, Secretariado da IV Internacional
“O secretariado da IV Internacional teve conhecimento da morte do camarada Miguel Portas. Ficámos muito tocados com esta notícia já que tivemos oportunidade de encontrar, em várias ocasiões, o Miguel Portas e desfrutar da sua companhia. Nunca iremos esquecer a sua dedicação ao trabalho internacionalista, de que era responsável. Deputado militante, ele dedicou toda a sua energia ao desenvolvimento das relações entre as diferentes anti capitalistas europeias.
Queremos apresentar, nestas circunstâncias trágicas, as nossas condolências e a nossa profunda simpatia aos camaradas do Bloco de Esquerda, desejando manter as nossas relações fraternas”.

Eduardo González Lerner, Embaixador de Cuba em Portugal
“Em nome da Embaixada de Cuba em Portugal e em meu nome em particular, desejo expressar-lhe as nossas mais sentidas condolências pelo falecimento do quadro dirigente da vossa Organização, Miguel Portas.
Por seu intermédio, solicitamos que transmita o nosso pesar, aos familiares, aos membros da direcção e a todos os militantes do Bloco de Esquerda”.

Basílio Mosso Ramos, Presidente da Assembleia Nacional de Cabo Verde
É com um sentimento de pesar que tomámos conhecimento do falecimento do ilustre eurodeputado e antigo deputado da nação Miguel Portas. Em nome da Assembleia Nacional de Cabo Verde, vimos expressar as nossas sentidas condolências pela perda que o desaparecimento físico do Dr. Portas representa para a comunidade política em Portugal.
Reconhecido como um activista político marcante, o eurodeputado Portas soube pugnar pelos ideais da democracia, justiça social e liberdade, em prol da qual combateu o antigo regime fascista e colonialista português, tendo defendido, na qualidade de deputado da Nação e de eurodeputado, os superiores interesses do povo português.
A personalidade que foi o Dr. Miguel Portas será sempre recordada pelo sentido de dever com que se dedicou à causa política, mesmo nos últimos anos de vida, em que já padecia da doença que o vitimou.
Rendemos uma justa homenagem à sua memória, reiterando o nosso pesar e solidariedade ao parlamento português, extensivos aos familiares e aos colegas que com ele privaram.”  

Embaixada da República do Iraque
“A Embaixada da República do Iraque em Lisboa apresenta os seus melhores cumprimentos ao Partido Bloco de Esquerda e vem apresentar as suas mais sentidas condolências pelo falecimento do Exmo. Sr. Miguel Portas, bem como aos seus familiares.
A Embaixada da República do Iraque aproveita a ocasião para reiterar Partido Bloco de Esquerda os protestos da sua mnais elevada consideração”.

Fernando Peraita, Presidente da Associação de Amizade com o Povo Saharaui, Sevilha
“Carmen,
O movimento espanhol de solidariedade com o Povo Saharaui está profundamente conmovido com a morte do nosso amigo Miguel Portas, una pessoa que esteve sempre aao lado dos mais desfavorecidos e em particular do Povo Saharaui.
Nunca poderemos esquecer o seu apoio contínuo, ao longo dos duros anos de exílio e ocupação, as suas tentativas de conseguir, no Parlamento Europeu, resoluções mais justas para o Povo Saharaui, a sua visita a Aminetu Haidar durante a sua greve de fome no aeroporto de Lanzarote e o seu carinho e afeto em tantas ocasiões.
Nestes momentos de dor queremos que transmitas à sua família e a todos os companheiros e companheiras do vosso partido as nossas condolências e também a nossa disposição e vontade firme de continuar pelo caminho comum que tivemos com o Miguel, o da luta pelas causas justas e a liberdade dos povos e das pessoas.
Um abraço solidário”.

Aminattou Haidar
“Cara Carmen,
Nesta ocasião dolorosa quero expressar-lhe, e, através de si, à família do nosso querido irmão e amigo Miguel Portas, os meus sentimentos mais afetuosos e as minhas mais sentidas condolências. Posso assegurar-lhe que a morte deste grande homem e verdadeiro defensor dos valores e princípios humanos é uma grande perda para todos os povos que não têm voz e, em particular, para o Povo Saharaui.
É uma pena que o Povo Saharaui continue a sua longa luta sem o braço forte do Miguel Portas!!
Quanto a mim, pessoalmente, sinto que perdi um amigo muito próximo... que senti estar sempre ao meu lado. Lembro-me e lembrar-me-ei sempre da visita que o falecido Miguel Portas me fez durante os momentos duros da minha greve de fome em Lanzarote, nas Ilhas Canárias, em 2009.
Muito carinhosamente”.


 


 


 

(...)

Resto dossier

Miguel Portas (1958-2012)

Neste dossier, divulgamos todos os artigos, vídeos, fotogaleria e notícias que o esquerda.net publicou em homenagem e evocação de Miguel Portas. Republicamos também alguns textos da sua autoria e relembramos ainda a sua última entrevista televisiva.

Adeus Miguel

Alguns flashes para ajudar a compor um perfil abrangente do Miguel Portas.

Miguel Portas 1958-2012

Reproduzimos neste artigo um texto de José Goulão, publicado no sitedo beinternacional.

O princípio da esperança

Não tinha tempo, mas continuava a preocupar-se com a vida. Teve a capacidade de construir cidades no deserto.

Carta ao Miguel Portas neste Abril

Tu foste daqueles raros cuja vida se resume na mais densa das frases: "25 de Abril sempre".

A Arte da Fuga

Quando passava por minha casa, o Miguel esticava-se no chão e eu punha a tocar a “Arte da Fuga” de J.S. Bach, no piano de Alice Adler.

Miguel

O Miguel morreu (custa escrever) indecentemente cedo. Cedo demais para toda a energia que tinha e que, até ao último minuto, nunca o abandonou.

Até sempre, Miguel!

O Miguel deixou-nos na passada terça-feira, na véspera do dia comemorativo da revolução que ele ajudou a construir. Partiu um grande amigo, um camarada, cujo exemplo me iluminará o caminho.

Miguel Portas: A arte de traduzir

O Miguel era um grande tradutor. E como tradutor passou a sua vida a des-hierarquizar.

Miguel

Viveu connosco e nós vivemos com ele. Perdemo-lo e não o esquecemos.

Miguel Portas

O Miguel Portas tinha imenso orgulho de ter nascido no 1 de maio, dia de festa e luta. Morreu a 24 de abril, dia que já era de triste memória, sem entristecer mais nenhum dia do calendário, que devemos viver com a alegria intensa com que o Miguel viveu toda a sua vida. Texto de António Costa.

Homenagem a Miguel Portas encheu o São Luiz

"Para o caso de isto correr mal", escreveu Miguel Portas ao escolher o Jardim de Inverno do Teatro São Luiz, em Lisboa, para juntar amigos e família. O espaço foi pequeno e as portas da Sala Principal também se abriram para mais de mil pessoas assistirem às intervenções, músicas e imagens que evocaram a memória de um "sonhador incorrigível". Ver fotogaleria de Rui Palha.

Olá, Miguel

Quando me confrontei com a ausência insuperável de ti, percebi que coisas houve que não cheguei a dizer-te.

Consegue-se viver sem esperança?

E agora, Miguel? É simples: voa. Voem.

Adeus Miguel

Neste 25 de abril sombrio e chuvoso em São Paulo, fui fazer uma palestra sobre a revolução portuguesa. Levei Miguel comigo, para que não me faltassem as forças.

O Miguel no Bloco

Vídeo realizado para a sessão evocativa de Miguel Portas, com o registo de intervenções políticas do eurodeputado e fundador do Bloco de Esquerda.

Miguel Portas - Fotogaleria

Fotos de Paulete Matos. Música: "Traz um amigo também", de José Afonso, interpretada por Mário Laginha e Bernardo Sassetti ao vivo no Encontro "1001 Culturas".

25 de Abril e os nossos tempos, por Ana Luísa Amaral

Um poema de Ana Luísa Amaral sobre o 25 de Abril, à memória de Miguel Portas.

Teu nome, Socialismo, por Miguel Portas

O propósito: quatro observações soltas que visam contribuir para o debate suscitado pela e sobre a Perestroika, entre aqueles que continuam a reclamar o seu lugar à esquerda e se não renderam a julgamentos apressados sobre a falência de tudo quanto cheire a comunismo e a socialismo. Artigo de Miguel Portas publicado na revista "Combate" e republicado no livro "Malhas que a Memória Tece".

“Gostaríamos de ter trazido um punhado da terra libertada da Palestina”

Uma mensagem do Comité de Solidariedade com a Palestina, com o título “Até sempre, Miguel”, assinala: “ gostaríamos de ter trazido para a despedida de Miguel Portas um punhado da terra libertada da Palestina”, sublinhando que “poucas pessoas se têm empenhado tanto como Miguel Portas na causa dos direitos humanos, sociais e nacionais do povo palestiniano”.

Adeus, Miguel

O Miguel desde que nasceu que fez uma diferença grande. Agora que morreu não é preciso sequer um instante para fazer uma ideia da falta que faz. Artigo de Miguel Esteves Cardoso, publicado no jornal “Público”.

“A guerra no Líbano devia ter sido evitada na Palestina”, por Miguel Portas

Publicamos aqui o capítulo "Palestina" do livro “No Labirinto - O Líbano entre guerras, política e religião” de Miguel Portas, publicado em 2006, numa edição da Almedina.

Sentida homenagem a Miguel Portas

Várias centenas de pessoas formaram uma fila com mais de 200 metros à porta do Palácio Galveias, em Lisboa, para homenagear o eurodeputado Miguel Portas. No domingo terá lugar a sessão evocativa no Jardim de Inverno do Teatro S. Luiz, com início às 14h30.

A política ou a vida, por Miguel Portas

O divórcio entre vida e política não é apenas público, começa no domínio privado. Dar o rosto tem um preço em desumanidade. Não duvidem que ela marca os políticos que temos, sem excepção. Porque o fiz, apesar do preço? Talvez porque não tivesse alternativa. Texto que Miguel Portas escreveu no final da campanha para as europeias de 1999.

Mortalidade e política

A morte de Miguel Portas faz-nos recordar que também as sociedades são mortais e que só a boa política consegue prolongar a sua existência. Artigo de Viriato Soromenho-Marques, publicado no jornal “Diário de Notícias”.

AR aprova voto de pesar pelo falecimento de Miguel Portas

Voto aprovado por unanimidade traça o perfil do eurodeputado bloquista e lembra frase da sua última entrevista: “A minha vida valeu a pena porque ajudei os outros”.

O Mediterrâneo é o lugar onde a vida se fez Tempo, por Miguel Portas

No sexto aniversário da morte de Miguel Portas, republicamos o prefácio e o primeiro capítulo de Périplo, o livro sobre o grande mosaico que é o Mediterrâneo.

O Bloco do Miguel

Sendo o Bloco uma invejável confluência de várias visões, cada qual com inúmeras qualidades, julgo que ao Miguel Portas fica associada uma permanente vontade do partido se reinventar.

Revolução: testemunho, por Miguel Portas

A cada um a sua revolução. A minha iniciou-se ainda no tempo da outra senhora, uma expressão que caiu em desuso. E coincidiu com outra, obrigatória pela lei da vida, a da passagem à adolescência. Crónica de Miguel Portas de abril de 1999, retirada no livro “E o resto é paisagem”.

O amor é inextricável, por Miguel Portas

Aceitei uma palestra sobre Os sentidos do Amor e não sabia o que dizer. Tinha feito asneira e estava desesperado. Comprei a Ana e a Maria, mergulhei na sabedoria popular e dei razão à minha amiga Joana – o amor é inextricável. Crónica de Miguel Portas de novembro de 2000, publicada no livro “E o resto é paisagem”.

Miguel Portas (1958-2012): Deixe aqui a sua mensagem

Reproduzimos, neste artigo, algumas das mensagens sobre a morte do Miguel Portas que temos vindo a receber através do endereço eletrónico do Bloco de Esquerda. Poderá deixar-nos aqui o seu testemunho, utilizando, para esse efeito, a caixa para comentários que se encontra no final do texto.

Reações internacionais à morte de Miguel Portas

Neste artigo transcrevemos as reações e notas de condolência de várias individualidades, forças políticas e organismos internacionais. (última atualização 08.05.20121 às 16h25).

11 de setembro – Viragem, por Miguel Portas

Os autores [dos atentados] “são a face terrível do imenso mal-estar que invade o mundo contemporâneo. E sem se ir às causas não haverá como escapar ao ciclo da barbárie”. Texto de Miguel Portas, publicado em Setembro de 2001, após os atentados e que foi incluído no seu livro “E o resto é paisagem” publicado em 2002, e que republicamos.

Última entrevista de Miguel Portas à Sic Notícias 31.01.2012

Publicamos aqui a última grande entrevista de Miguel Portas à SIC Notícias, transmitida a 31 de janeiro de 2012. 

Miguel Portas: “Não desisti de nada”

Este ano, a comitiva do Bloco de Esquerda na manifestação do 25 de abril foi encabeçada por uma faixa em homenagem a Miguel Portas com a frase “Não desisti de nada”, proferida pelo dirigente do Bloco durante uma entrevista ao jornal Expresso em julho de 2011.

Miguel Portas 1958-2012

Reproduzimos neste artigo um texto de José Goulão, publicado no sitedo beinternacional.

Esquerda europeia de luto pela morte de Miguel Portas

De toda a Europa chegaram mensagens de pesar pelo desaparecimento de Miguel Portas, transmitidas ao Bloco e ao grupo no Parlamento Europeu. O esquerda.net publica-as nesta notícia (última atualização 02.05.2012 às 18h47).

Adeus Miguel

Alguns flashes para ajudar a compor um perfil abrangente do Miguel Portas.

Sucedem-se as reações à morte de Miguel Portas

Neste artigo transcrevemos as reações e notas de condolência de várias individualidades e forças políticas mediante o falecimento do dirigente e eurodeputado do Bloco de Esquerda Miguel Portas. Esta quarta-feira, o Parlamento Europeu fez um minuto de silêncio e abriu um livro de condolências para os deputados poderem assinar  (última atualização 17.05.2012 às 17h45).

Miguel

Viveu connosco e nós vivemos com ele. Perdemo-lo e não o esquecemos.

Apresentação do livro "Périplo"

O terceiro livro publicado por Miguel Portas foi “Périplo”, histórias do Mediterrâneo – com fotos de Camilo de Azevedo. Divulgamos aqui a apresentação em Lisboa em Maio de 2009. Miguel Portas publicou ainda os livros "E o resto é paisagem" (2002) e "No Labirinto" (2006).

«Fui sempre mais de jogar fora do baralho»

Miguel Portas morreu hoje, após uma longa luta com mais de dois anos contra o cancro. Tinha 53 anos. Nasceu no 1º de maio de 1958, morreu no dia 24 de Abril de 2012.

Miguel Portas faleceu

O eurodeputado Miguel Portas faleceu esta terça-feira por volta das 18 horas, no Hospital ZNA Middelheim, em Antuérpia. Encarou a sua própria doença como fazia sempre tudo, da política ao jornalismo: de frente e sem rodeios. A Comissão Política do Bloco de Esquerda apresenta os mais sentidos pêsames aos seus filhos e a todos os familiares, amigos e camaradas.