Está aqui

Quino (1932 - 2020)

Quino, o cartoonista mais traduzido da língua espanhola, morreu hoje na Argentina. Mesmo depois de abandonar a contestatária Mafalda, Quino continuou a criar histórias focadas na opressão e na desigualdade social.
Quino junto a uma estátua de Mafalda em Oviedo, Espanha.
Quino junto a uma estátua de Mafalda em Oviedo, Espanha. Fotografia de Jose Luis Cereijido/EPA/Lusa.

O autor Quino, mais conhecido por ter criado a personagem de banda desenhada Mafalda, morreu hoje, aos 88 anos. A notícia foi divulgada pela agência Efe e confirmada pelo editor Daniel Divinsky.

"Quino morreu. Todas as pessoas boas do país e do mundo ficarão de luto por ele", escreveu Divinsky no Twitter.

Argentino filho de espanhóis, Joaquín Salvador Lavado nasceu em 1932 e ao longo da sua vida desenhou e publicou vários livros de desenho gráfico para um público mais adulto, quase sempre com uma análise política e social marcada pelo seu humor corrosivo e negro. Foi o cartoonista mais traduzido da língua espanhola.

Mas foi a contestatária Mafalda, uma menina preocupada em combater os problemas sociais e a sopa ao jantar, desenhada pela primeira vez em 1964, que marcou a sua carreira. A personagem ficou de tal forma célebre que, em 1973, Quino viu-se forçado a abandonar a sua decisão de deixar de desenhá-la devido à sua enorme popularidade. 

Depois de abandonar a personagem de vez, Quino continuou a criar histórias com tom político, muitas vezes sobre opressão e desigualdade social, para jornais de vários países.

A causa da morte não foi oficialmente divulgada. Segundo a imprensa argentina, o artista sofreu um acidente vascular cerebral nos últimos dias.

Termos relacionados Cultura
(...)