Está aqui

Quatro maiores bancos amealharam este ano mais de 440 milhões em comissões

Para os bancos, o valor das comissões aplicadas à atividade quotidiana dos clientes é residual, mas essas comissões pesam nas contas das famílias no final do mês ou no final do ano. A Caixa Geral de Depósitos, que viu o valor total das comissões subir 5% face ao mesmo período de 2018, atualiza esta quarta-feira a tabela dos preços aplicados.
A Caixa Geral de Depósitos atualiza esta quarta-feira a tabela dos preços de comissões aplicados.

As receitas provenientes das comissões são referentes a dois tipos de serviços prestados pelos bancos: os associados à atividade quotidiana dos clientes, nomeadamente no que concerne à abertura de processos de crédito, levantamentos ao balcão e aberturas de conta e transferências; e os que respeitam à atividade de mercados financeiros, como operações em bolsa, comissões de gestão de ativos, etc.

Ainda que, para os bancos, o valor das comissões aplicadas à atividade do dia-a-dia dos clientes seja residual, essas comissões pesam nas contas das famílias no final do mês ou no final do ano.

Desde o início do ano, os quatro maiores bancos portugueses já amealharam mais de 440 milhões de euros em comissões. A Caixa Geral de Depósitos (CGD) registou um aumento total de mais 5% face ao mesmo período de 2018. E esta quarta-feira atualiza a tabela dos preços de comissões aplicados.

Entre os quatro maiores bancos portugueses, apenas o BPI teve um decréscimo de 8% nas receitas arrecadadas com comissões. Até março, o montante ascendia a cerca de 60 milhões de euros. Já o Millennium BCP ganhou mais 1,7% em comissões.

O Banco de Portugal disponibiliza um comparador que vai atualizando os preçários de todos os Bancos com atividade no país.

Servindo-se desse instrumento de comparação, a TSF avança que o Novo Banco cobre mais de 12 euros nos levantamentos ao balcão. Os clientes da CGD com caderneta pagavam um euro. Contudo, com o preçário atualizado esta quarta-feira, o valor sobe 175%, para 2,75 euros. Ainda assim, a Caixa continuar a ser a instituição que menos cobra aos clientes nos levantamentos ao balcão.

No que concerne à manutenção da conta à ordem, o BPI cobra 3,75 euros. Já o Banco Montepio faz depender a comissão aplicada do montante em depósitos ou da domiciliação do ordenado, isentando o pagamento de manutenção da conta à ordem para depósitos que excedam os 5 mil euros.

Há Bancos, como a Caixa Geral de Depósitos, que já têm no preçário os custos do MB Way, embora a Caixa continue sem aplicar a comissão e outros, como o Santander Totta, que ainda não anunciaram o preçário, mas já avisaram que vão começar a cobrar o serviço. Existem casos, como o Montepio, que deixam um aviso: "Até 31 de dezembro de 2019, as transferências Instantâneas MB Way estão isentas de comissões"; depois, passam a custar 20 cêntimos.

Já no que respeita ao MB Way, bancos como a Caixa Geral de Depósitos já prevêem no preçário os custos do MB Way, embora a Caixa ainda não aplique a comissão. O Santander Totta também já avisou que vai começar a cobrar o serviço, bem como o Montepio.

Associação de Defesa do Consumidor (DECO), acusa os bancos duplicarem os custos porque "A app MB Way requer a existência de um cartão bancário, que já tem comissões associadas".

Além disso, "esta aplicação replica a utilização do Multibanco no telemóvel, onde a cobrança de comissões pelas operações realizadas está proibida", defende a DECO.

Termos relacionados Sociedade
(...)