Está aqui

Proteção do lince ibérico sem financiamento europeu

A Comissão Europeia decidiu deixar de financiar o projeto de reintrodução do lince ibérico na Península, após 17 anos em que com esse apoio foi possível passar de 92 para 600 exemplares.
Lince Ibérico – Foto de Fernando Diz/wikimedia
Lince Ibérico – Foto de Fernando Diz/wikimedia

Segundo o “Jornal de Notícias”, o projeto entrava agora na quarta edição, mas deixou de ser apoiado pela Comissão Europeia, o que foi confirmado por fonte oficial ao jornal.

O projeto que tem sido apoiado chama-se Life+Iberlince, foi lançado em 2002 e permitiu que o número de linces ibéricos passasse de 92 para 600, em 17 anos. O sucesso foi tal que o lince ibérico deixou de ser considerado uma espécie em risco de extinção em 2015.

A entidade promotora do projeto é a Junta da Andaluzia e tem várias parcerias. Em Portugal, o projeto envolve a proteção da espécie no Vale do Guadiana.

Perante o corte de Bruxelas, a Junta da Andaluzia está a preparar uma nova proposta, cujo prazo de apresentação termina a 19 de junho.

Segundo o ministério do Ambiente português, a Junta da Andaluzia, "em nome dos restantes parceiros - a maior parte espanhóis e em Portugal, além do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), as Infraestruturas de Portugal e a Comunidade Intermunicipal Baixo Alentejo -, encontra-se a refazer o projeto para nova submissão ainda este ano".

A população do lince ibérico no Vale do Guadiana continua a aumentar. O INCF anunciou no início desta semana que foram observadas dez crias, provenientes de três fêmeas, e refere que "12 fêmeas poderão ter-se reproduzido".

Termos relacionados Ambiente
(...)