Está aqui

Programas de ordenamento florestal privilegiam eucaliptos, denuncia a Quercus

A associação ambientalista analisou os sete novos PROF, publicados em fevereiro, e concluiu que a plantação de eucaliptos é privilegiada em 95% do território nacional e é mesmo prevista em áreas protegidas “desde o Parque Nacional da Peneda-Gerês ao Parque Nacional da Serra da Estrela”.
Eucaliptos - Foto de moliço/flickr
Eucaliptos - Foto de moliço/flickr

A denúncia chega seis meses após a campanha do lóbi das celuloses, que publicou em novembro passado um manifesto em defesa do eucalipto. Afinal, três meses após essa divulgação, os sete novos programas regionais de Ordenamento Florestal (PROF) privilegiam a plantação de eucalipto em 95% do território nacional, quem denuncia é a associação ambientalista Quercus, que analisou os programas.

"Os PROF consideram prioritária a plantação de eucaliptos em 95% do território continental e apenas não são privilegiados em 5% da área, ou seja, em oito sub-regiões homogéneas do interior de Trás-os-Montes e Alto Douro e do Baixo Alentejo", denuncia a associação em comunicado.

Eucalipto é privilegiado em 95% do território nacional - Mapa da Quercus

Em declarações à Lusa, João Branco dirigente da Quercus refere que em cada PROF "há uma lista de espécies a privilegiar, que depois são as aprovadas quando há pedidos de arborização ou rearborização" e aponta: "acontece que, em 95% do país, o eucalipto é espécie a privilegiar, o que nos deixa muito preocupados, apesar de existir uma lei que condiciona a expansão do eucaliptal, mas que nada nos garante que um dia não seja revogada".

João Branco salienta que "os PROF têm de ser vertidos nos Planos Diretores Municipais (PDM), porque a legislação assim o obriga, mas, na prática, vai tirar todo o poder de decisão às Câmaras Municipais na expansão do eucalipto no seu território".

"E mesmo o próprio Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), porque depois como é que vão dar parecer negativo a uma plantação de eucaliptos, se no PROF e no PDM diz que é espécie a privilegiar", sublinha ainda o ambientalista.

Eucalipto em áreas protegidas

O comunicado da Quercus destaca que o eucalipto é “previsto em áreas Protegidas desde o Parque Nacional da Peneda-Gerês ao Parque Nacional da Serra da Estrela”.

A associação denuncia também que os novos PROF “foram elaborados com informação desatualizada e utilizaram uma metodologia com critérios desajustados, o que os impede de contribuir para um melhor ordenamento florestal”.

A Quercus refere que acompanhou algumas Comissões de Acompanhamento da revisão dos programas e alertou para o abuso do privilégio dado ao eucalipto em diversas situações, como “muitas regiões de montanha e do interior, onde o eucalipto nem sequer se encontra adaptado em termos edafo-climáticos, dado ter pouca produtividade ou estar mais facilmente sujeito a pragas ou doenças”. E exemplifica a “insensatez” com os casos das “sub-regiões homogéneas da Torre e da Estrela, em área protegida do Parque Natural da Serra da Estrela” e da “sub-região homogénea Paque Nacional da Peneda-Gerês”, onde “o eucalipto é priviligiado no grupo I, enquanto a maioria das espécies folhosas autótones se encontra no grupo II (menor privilégio)”.

“Caso as celuloses consigam que o regime de arborização seja alterado, os planos já lhes são favoráveis, apesar de contrariarem o necessário ordenamento florestal para conter as monoculturas e o risco de incêndio”, conclui a Quercus.

Termos relacionados Ambiente
(...)