Está aqui

Presidente do Equador diz que mulheres só denunciam assédio feito por homens feios

Lenín Moreno, o liberal que preside ao Equador está a ser alvo de uma onda de críticas por ter feito declarações sexistas e que “minimizam” o problema da violência sexual. Afirmou que as mulheres apenas denunciam casos de assédio quando este é perpetrado por homens feios.
Lenín Moreno em campanha eleitoral. Quito, março de 2017.
Lenín Moreno em campanha eleitoral. Quito, março de 2017. Foto. Carlos Rodrigues/Agência Nacional Pública ANDES/wikimedia commons.

Estava quase só entre homens. Lenín Moreno reunia, na passada sexta-feira, com empresários na cidade de Guayaquil. Talvez por isso ter-se-á sentido à vontade para dizer o que disse.

O presidente do Equador afirmou que os homens estão “constantemente sujeitos a acusações de assédio” e que “as mulheres muitas vezes denunciam os assédios, é verdade, e é bom que o façam. Mas às vezes vejo que se enfurecem com as pessoas feias. Isto quer dizer que assédio é quando vem de uma pessoa feia, mas se a pessoa é bem apresentada de acordo com os cânones, elas não costumam pensar necessariamente que seja um assédio.”

As suas palavras não passaram despercebidas. Estes cerca de 39 segundos de declarações propagaram-se rapidamente nas redes sociais multiplicando-se a indignação. Muitas mulheres acusaram Moreno de minimizar o problema do assédio sexual. Por exemplo, Lolo Miño, uma ativista dos direitos humanos, escreveu: “é uma questão de saber se uma mulher se sente à vontade com os avanços, não se o tipo é bonito ou não. Às vezes duvido que ele seja capaz de comandar o país. Vergonha!”

A organização Mujeres por el Cambio também foi uma das muitas organizações feministas do país a reagir. Na sua página de Facebook escreveu: “não, não, presidente Lenín Moreno, não é que agora tudo pareça assédio às mulheres, é que a homens como você nunca pareceu mau assediar! Rejeitamos as suas declarações violentas.”

Face a esta onda de críticas, Moreno veio em seguida pedir desculpas. Diz que não queria “minimizar um assunto tão sério como violência ou abuso. Peço desculpas se foi entendido dessa maneira. Rejeito a violência contra as mulheres em todas as suas formas!”

Termos relacionados Internacional
(...)