Está aqui

Presidente da Câmara de Dublin apela ao boicote da Eurovisão em Israel

“Acho que a terrível provação do povo palestiniano tem que ser destacada. Tem que haver solidariedade, tal como existiu com o povo da África do Sul na altura do regime do apartheid”, defendeu o autarca da capital da República da Irlanda.
Forças israelitas mataram mais de 50 palestinianos esta segunda-feira.

O Presidente da Câmara Municipal de Dublin apelou ao boicote da República da Irlanda ao Festival da Eurovisão de 2019, que será organizado pelo Estado de Israel.

O conselheiro municipal do Sinn Féin, Micheal Mac Donncha, entende que a participação na competição do próximo ano – que o governo israelita pretende que decorra em Jerusalém - seria inadequada por causa do atual conflito com a Palestina.

“Acho que não deveríamos mandar um representante”, afirmou ao jornal Dublin Live, fundamentando a sua posição na necessidade de a Irlanda manifestar a sua solidariedade com o povo palestiniano.

“Acho que a terrível provação do povo palestiniano tem que ser destacada. Tem que haver solidariedade, tal como existiu com o povo da África do Sul na altura do regime do apartheid”.

Em abril, o Conselho Municipal de Dublin aprovou uma moção de apoio à campanha de boicote e sanções económicas contra Israel em resposta à violenta onda de repressão na Faixa de Gaza.

O órgão deliberativo da capital irlandesa também decidiu romper laços com a empresa TI Hewlett Packard (HP), que acusa de fornecer meios tecnológicos à ocupação israelita na Cisjordânia.

Gaza: Forças israelitas matam mais de 50 palestinianos esta segunda-feira

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Massacre na Palestina, Internacional
(...)