Está aqui

Preços das habitações cresceram ao ritmo mais alto dos últimos oito anos

Segundo dados do INE, o Índice de Preços da Habitação (IPHab) aumentou 12,2% em termos homólogos durante o primeiro trimestre de 2018, 1,7% acima do ocorrido no período anterior. Assim, os preços cresceram ao ritmo mais alto dos últimos oito anos, pelo menos.
Entre janeiro e março, a Área Metropolitana de Lisboa e a região Norte concentraram 65,0% do total das vendas de habitações, “o registo mais elevado dos últimos dois anos”.
Entre janeiro e março, a Área Metropolitana de Lisboa e a região Norte concentraram 65,0% do total das vendas de habitações, “o registo mais elevado dos últimos dois anos”. Fotografia de Paulete Matos.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), esta é a taxa de variação mais elevada do Índice de Preços da Habitação (IPHab) da série disponível desde 2009, tendo o aumento de preços ocorrido quer nas habitações existentes, quer nas habitações novas, que apresentaram as variações mais altas da série.

Este foi o quinto trimestre consecutivo em houve uma aceleração dos preços das habitações transacionadas (os preços das habitações existentes aumentaram 13,0%, a taxa de variação mais elevada da série).

Nos primeiros três meses de 2018, foram feitas 40 716 transações, mais 15,7% do que no mesmo período de 2017. O valor das vendas feitas neste período ultrapassou os 5,4 mil milhões de euros (tendo aumentado 25,7% relativamente ao primeiro trimestre de 2017).

Segundo o INE, a aceleração dos preços foi “mais intensa” no caso das habitações novas, com uma variação de 4,4% (0,0% no trimestre anterior). Nos alojamentos existentes, a taxa de variação foi de 3,6%.

Entre janeiro e março, a Área Metropolitana de Lisboa e a região Norte concentraram 65,0% do total das vendas de habitações, “o registo mais elevado dos últimos dois anos”.

Na Área Metropolitana de Lisboa, houve 14.548 vendas; a região Norte voltou a exceder as 11 mil transações.

Termos relacionados Sociedade
(...)