Está aqui

População de Bajouca, em Leiria, protesta contra prospeção de gás

Quase 500 pessoas manifestaram-se contra a prospeção de gás na freguesia de Leiria. Os manifestantes exigem o fim das concessões de direito de prospeção assinadas em 2015 com a Australis.
População de Bajouca, em Leiria, protesta contra prospeção de gás
Foto de Município de Leiria/Facebook.

Os moradores da freguesia da Bajouca, em Leiria, organizaram uma marcha de dois quilómetros contra a prospeção de gás na região. A marcha reuniu quase quinhentas pessoas e terminou no local onde a empresa Australis pretende efetuar trabalhos de prospeção.

A iniciativa teve como objetivo “travar a prospeção de gás na Bajouca”, segundo declarações do presidente da Junta de Freguesia, Pedro Pedrosa, à agência Lusa.

A Australis Oil & Gas pretende tornar a Bajouca num dos primeiros locais de exploração de gás em Portugal, no âmbito das concessões de Pombal e Batalha. Em cima da mesa estão planos similares para Aljubarrota, Alcobaça.

"Foi mais uma forma de manifestar a nossa oposição à exploração de gás na freguesia. Não vamos parar de lutar enquanto os contratos da empresa Australis não forem cancelados definitivamente", adiantou Pedro Pedrosa.

Os manifestantes consideram que não faz sentido “avançarem com o investimento”, quando existe 15% de risco de contaminação.

"Há o risco de contaminação do aquífero do Louriçal [concelho de Pombal]. Se isso suceder vai afetar a população da Bajouca e de todo o concelho de Leiria", alertou Pedrosa.

Pedro Pedrosa disse ainda que o estudo de impacto ambiental ainda não foi conhecido, mas a "empresa emitiu um comunicado à imprensa, onde disse que os resultados deveriam ser anunciados no primeiro semestre de 2020".

O presidente da Junta da Bajouca reforçou ainda que a "luta não parar até que os contratos sejam suspensos" e poderão "surgir novas iniciativas" para além da manifestação e de um abaixo assinado atualmente em circulação.

"Como diz o nosso mote 'Amo a Bajouca. Sou contra a exploração de gás natural'”, recordou.

Em dezembro de 2019, o Município de Leiria tinha já aprovado por unanimidade uma moção contra a prospeção e exploração de gás na Bajouca, apelando ao Governo para que tome medidas com esse fim.

Encontram-se ainda em vigor dois contratos entre o Governo e a Australis Oil & Gas para a concessão de direitos de prospeção, pesquisa, desenvolvimento e produção de petróleo nas áreas designadas por Pombal e Batalha, que "estão em contradição com a política energética que Portugal tem vindo a prosseguir na última década", denuncia a autarquia.

“Temos de estar ao lado do futuro e para haver futuro não pode haver furo”, afirmou Gonçalo Lopes, presidente da Câmara de Leiria.

Para os manifestantes, ainda é possível interromper as concessões assinadas em 2015 pois, como os investimentos feitos até ao momento são diminutos, a compensação monetária também o seria.

Termos relacionados Ambiente
(...)