Podcast resgata a memória da juventude trotsquista do 25 de Abril

23 de março 2024 - 20:47

O palacete da Rua da Palma que hoje é a sede do Bloco de Esquerda já foi palco de alegrias e tragédias. "Palmeiras, um palácio em revolução", o podcast realizado por Joana Louçã, traz as histórias da geração que o ocupou após o 25 de Abril.

PARTILHAR
Palmeiras, um palácio em revolução

Estreou esta semana nas plataformas de podcasts - Spotify, Youtube, Apple Podcasts ou ​Google Podcasts - a série "Palmeiras, um palácio em revolução", com criação e produção sonora de Gui Calegari e narração, escrita, edição e realização de Joana Louçã, com Miguel Bordalo.

O podcast tem como referência o palacete da Rua da Palma, em Lisboa, onde hoje se situa a sede nacional do Bloco de Esquerda e que antes serviu de sede ao Partido Socialista Revolucionário e à Liga Comunista Internacionalista, que o ocupou em 1975.

No primeiro episódio, a autora fala com elementos da geração que integrava a LCI sobre a forma como iniciaram a sua atividade política no início dos anos 1970, os subterfúgios e códigos da clandestinidade no movimento estudantil onde intervinham. E também recorre ao historiador Fernando Rosas, que pertencia à corrente maoista, adversária dos trotsquistas e que também tinha aquele edifício debaixo de olho, para ajudar a enquadrar a história destes movimentos.

Recorte do Diário de Lisboa de 10 de março de 1975.

A ideia de contar a história do edifício já tem alguns anos. Joana Louçã conta que surgiu em 2018, quando ouviu a entrevista do músico Tó Trips ao programa "Fala com Ela" de Inês Meneses, hoje também em podcast. "Ele estava a descrever a noite lisboeta dos anos 80 e um dos lugares onde costumava ir, além dos outros mais conhecidos, como o Rock Rendez-Vous, era ao Palmeiras. Essa entrevista pôs-me a pensar que muitas pessoas desconhecem a história do edifício, a sua origem, o lugar que teve como espaço de contra cultura, as festas, mas também alguns momentos muito marcantes que lá aconteceram, como o assassinato do Zé da Messa por skinheads em 1989", recorda a autora ao Esquerda.net.

A ideia inicial de repartir a história por três episódios - a ocupação, os concertos e o José Carvalho - desfez-se logo nos primeiros contactos. "Percebi que tinha de dar um contexto de cada época, e assim surgiu a organização que o podcast acabou por tomar: uma primeira temporada, com três episódios, sobre a militância antes do 25 de abril, o PREC e a ocupação". O resto ficará para temporadas futuras, a lançar provavelmente a seguir ao verão.

As duas palmeiras na frente do edifício já não existem, vítimas da praga do escaravelho que levou ao abate de centenas de palmeiras na região de Lisboa e noutras zonas do país na década passada. Elas deram o nome ao edifício mas também à própria rua da Palma. Uma das curiosidades encontradas na pesquisa para o podcast foi a história do cavaleiro Henrique, "um alemão que ajudou o D. Afonso Henriques na conquista de Lisboa, e que estará enterrado por baixo de uma das palmeiras", aponta Joana Louçã.

"Há ainda uma enorme coincidência, que é que no dia em que a LCI ocupou o edifício, um outro partido tinha assinado o contrato para o arrendar. As consequências desse conflito de interesses são muito engraçadas, mas para saberem mais têm de ouvir os próximos episódios do podcast", anuncia a autora.

O primeiro episódio, já disponível, dá conta das atividades dos militantes da LCI ainda durante a ditadura. "Era um grupo muito pequeno, centrado em Lisboa, Porto e Coimbra, quase exclusivamente composto por universitários (muito centrado na Faculdade de Medicina) ou estudantes de secundário", que se demarcavam dos outros grupos da esquerda pelas suas ideias e posições políticas anti-estalinistas.  E que também se destacavam por algumas peculiaridades. Por exemplo, prossegue Joana, "viviam na contradição entre ter uma boa organização em algumas coisas, particularmente em clandestinidade, mas com outras coisas indescritíveis, como impedir a entrada de novos membros por haver um conflito de forças interno que a entrada de novos elementos ia desequilibrar, que hoje em dia parece uma piada".

O segundo episódio de "Palmeiras, um palácio em revolução" é lançado esta segunda-feira e o episódio final da primeira temporada sai no dia 1 de abril. Este é um dos podcasts disponíveis no catálogo da Muxirão Edições, a par de "És do Brasil?" e "Vem cá".