Está aqui

Pfizer e Moderna aumentam preços das vacinas contra o coronavírus

A União Europeia foi obrigada a pagar mais 25% pelas vacinas da Pfizer e mais 13% pelas da Moderna. Só estas grandes farmacêuticas, junto com a AstraZeneca, vão faturar a curto prazo cerca de 85 mil milhões de euros com a vacina contra a Covid-19.
Pfizer e Moderna. Foto de Prachatai/Flickr.
Pfizer e Moderna. Foto de Prachatai/Flickr.

O Financial Times noticia este domingo que nos últimos contratos de fornecimento de vacinas contra a Covid-19 com a União Europeia, Pfizer e Moderna aumentaram os preços. A vacina da Pfizer custou mais 25% e a da Moderna mais 13%.

Os contratos preveem um abastecimento de 2,1 mil milhões de vacinas até 2023. A vacina da Pfizer tinha custado anteriormente 15,50 por dose e passou a custar agora 19,50. A da Moderna subiu de 19 euros para 21,48.

A propagação da variante delta e a perspetiva de uma terceira dose no Inverno em vários países europeus tem aumentado a procura da vacina na Europa. As duas empresas fizeram valer na mesa das negociações estudos clínicos que apresentavam melhores taxas de eficácia das suas vacinas de mRNA face às concorrentes AstraZeneca e Janssen. Também terá ajudado a escalar o preço o facto das negociações terem sido feitas no momento em que saíram notícias sobre o surgimento de fenómenos tromboembólicos extremamente raros em pessoas vacinadas com estas últimas vacinas e que levaram a uma investigação da Agência Europeia do Medicamento.

O jornal britânico apresenta dados de consultores do setor farmacêutico que indicam que até 2022 a Pfizer vai ganhar com a sua vacina 47,2 mil milhões de euros e a Moderna 25,2 mil milhões de euros. Por sua vez a AstraZeneca lucrará 12,6 mil milhões de euros.

Termos relacionados Internacional
(...)