Está aqui

Petrogal: acordo entre sindicato e administração

A Fiequimetal anunciou esta segunda-feira que foi alcançado um acordo de princípio nas negociações com a administração da Petrogal. Esta federação sindical considera que o acordo alcançado vai no sentido das condições que tinham sido exigidas pelos trabalhadores nos últimos plenários gerais.
Foto de um plenário dos trabalhadores da Petrogal. Fonte: Fiequimetal

Falta ainda um texto final, a assinatura de ambas as partes e a publicação no Boletim do Trabalho e Emprego. A Fiequimetal espera que todo esse processo esteja concluído até ao final da próxima semana de forma a que o acordo possa ser implementado.

A destoar do acordado, apenas um ponto. A federação sindical aguarda ainda que antes da assinatura desse texto final lhe sejam comunicadas “as decisões sobre processos disciplinares instaurados a vários trabalhadores, durante o conflito na empresa”. A administração disse que registou a posição dos trabalhadores e comprometeu-se com esse prazo.

Do acordo obtido salientam-se vários pontos: cai o banco de horas proposto pela administração, é incluído no acordo de empresa um subsídio de casamento, os regimes de reformas e de saúde são estabelecidos como obrigação contratual estável e não serão passíveis de caducidade, incluem-se os feriados trabalhados no cálculo das pensões, o prémio de reforma aumenta para quatro vencimentos-base, serão revistos os escalões de progressão salarial, o aumento salarial, do subsídio de alimentação e do de infantário de 2019 será de 1,4% e terá efeitos a partir de 1 de janeiro, o dos dois anos seguintes será, no mínimo de 1,3% (garantindo-se que este aumento não será inferior à taxa de inflação do ano anterior).

Garantidos ficam ainda o pagamento adicional de 1000 euros por ano por cada filho em compensação dos subsídios de infantário não auferidos nos últimos três anos e o pagamento de complementos e bonificação aos trabalhadores de turnos de laboração contínua.

Termos relacionados Sociedade
(...)