Está aqui

Partido Trabalhista quer recuperar controlo público dos setores estratégicos

Trabalhistas britânicos apresentaram um plano de renacionalização de setores estratégicos da economia como a energia, água, ferrovia e os correios que pretendem que sejam democraticamente geridos por “utentes, trabalhadores e autarcas”.
Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista britânico.

Na sua mais recente conferência partidária, que decorre na cidade de Liverpool, o chanceler sombra do Labour apresentou o plano do partido de democratização da economia e dos serviços públicos britânicos.

Segundo John McDonnell, os trabalhistas querem que os setores estratégicos, que o partido pretende devolver ao erário público, como a energia, água, ferrovia e os correios passem a ser geridos por “utentes, trabalhadores e autarcas”.

“As contas de água aumentaram 40% em termos reais desde a privatização. As empresas de água recebem mais em créditos fiscais do que pagam em impostos. Todos os dias água suficiente para atender às necessidades de 20 milhões de pessoas é perdida em vazamentos”.

“Mas vamos ser claros, a nacionalização não será um regresso ao passado. Nós não queremos tirar o poder aos administradores [privados] sem rosto apenas para centralizar tudo num escritório de Whitehall [sede do governo britânico], para trocar um gerente qualquer por outro”.

“É hora de mudar o equilíbrio do poder neste país”

McDonnel apresentou ainda o programa trabalhista para dar voz aos trabalhadores nas administrações das maiores empresas do país.

Segundo anunciou, um governo liderado por Jeremy Corbyn dará aos trabalhadores um terço dos assentos nos conselhos de administração e vai obrigar todas as empresas com mais de 250 funcionários a transferir 10% da propriedade da empresa para os seus trabalhadores.

As organizações patronais e a imprensa financeira têm atacado estas propostas políticas, que classificam de “planos anti-negócio”. Contudo, mereceram um apoio altamente maioritário por parte da base trabalhista e têm recolhido cada vez mais apoio no Reino Unido.

Termos relacionados Internacional
(...)