Está aqui

No Parlamento Europeu, Boulos denunciou perseguições aos movimentos sociais no Brasil

Guilherme Boulos, que estará no próximo sábado em Lisboa e no Porto, falou no PE das ameaças à democracia no Brasil. O candidato presidencial do PSOL esteve com Marisa Matias e com deputados do Podemos e da France Insoumise.
Marisa Matias, Guilherme Boulos, Xabier Benito do Podemos e Younous Omarjee da France Insoumise
Marisa Matias, Guilherme Boulos, Xabier Benito do Podemos e Younous Omarjee da France Insoumise

Guilherme Boulos iniciou nesta terça-feira uma viagem à Europa, para expor a situação da democracia no Brasil e falar das perseguições aos movimentos sociais. No PE, apelou à constituição de um observatório europeu de apoio e monitorização da democracia no Brasil, numa sessão em que estiveram presentes Marisa Matias, Xabier Benito do Podemos e Younous Omarjee da France Insoumise, assim como deputados de vários grupos políticos.

Boulos lembrou que Bolsonaro fez ameaças diretas contra as liberdades de imprensa, manifestação e expressão e contra os movimentos sociais.

“Bolsonaro quer acabar com todas as formas de ativismo e considerá-las movimentos terroristas, nomeadamente o MST [Movimento dos Sem Terra] e o MTST [Movimento dos Trabalhadores Sem Teto]”, alertou Boulos, explicando que está no parlamento brasileiro um projeto com esse objetivo, que Bolsonaro quer aprovar no início de 2019.

Boulos estará no próximo sábado em sessões em Lisboa e no Porto
Boulos estará no próximo sábado em sessões em Lisboa e no Porto

Boulos falou também do assassinato de dois militantes do MST na Paraíba, no passado sábado, (ler notícia no esquerda.net), sublinhando que “antes do processo de ilegalização, o processo de violência já começou estimulado pelo discurso do ódio do governo".

Marisa Matias afirmou, na sua intervenção: “Há poucos dias, José Bernardo da Silva e Rodrigo Celestino foram brutalmente assassinados. Os movimentos sociais estão sob ameaça e pressão, e as lutas pelos direitos humanos agora correm o risco de serem consideradas um crime. A violência e os ataques contra ativistas e defensores dos direitos humanos foram reforçados pela eleição de Bolsonaro. Mas a unidade também foi fortalecida. Essa luta vai muito além do Brasil. Juntos, procuramos globalizar a esperança ”.

“Contra a globalização da política do ódio e do medo temos que globalizar a política da esperança”, sublinhou Marisa no twitter:

Xabier Benito do Podemos afirmou: "A situação no Brasil é muito preocupante. Pouco antes das eleições, um grupo de eurodeputados dos grupos S & D, ALDE, Verdes e GUE / NGL já alertaram para o risco da democracia no Brasil".

O eurodeputado francês Younous Omarjee (France Insumise) afirmou que é preciso pressionar a União Europeia e fazer tudo o que é possível “para lutar ao lado daqueles que lutam pela liberdade no mundo e também no Brasil ”.

Guilherme Boulos em Portugal

Guilherme Boulos estará em Lisboa no próximo sábado na sessão Alerta Brasil: Democracia Ameaçada às 16h30 no Mercado Forno do Tijolo, em que participarão, nomeadamente, Pilar del Rio, Joana Mortágua, Marisa Matias e Catarina Martins. No Porto, a sessão será no Hotel Tuela às 21h30.

Termos relacionados Internacional
(...)