Está aqui

Moradores denunciam bullying imobiliário em Lisboa

O prédio Santos Lima, em Lisboa, foi comprado por 2 milhões de euros para apenas 20 dias depois ser posto à venda por 7 milhões. No edifício, descrito no anúncio como “devoluto”, residem na realidade 17 famílias.
Moradores denunciam bullying imobiliário em Lisboa
Residentes do edifício depararam-se com portas destruídas e com luz cortadas nas zonas comuns do prédio e relatam sentir receio de sair de casa de noite.

Os moradores do prédio Santos Lima, na freguesia de Marvila, em Lisboa, denunciaram através da Plataforma STOP Despejos a situação de bullying imobiliário com a qual se deparam desde a venda do prédio onde residem.

O edifício fora vendido por 2 milhões e 700 mil euros a duas empresas imobiliárias para, apenas 20 dias depois, ser posto novamente à venda por 7 milhões e 200 mil euros. A venda inicial foi feita pela empresa imobiliária North Atlantic Trading Company às empresas Buy2Sale e Preciousgravity Lda. Os moradores não tiveram oportunidade de exercer o seu direito de preferência, uma vez que lhes foram dados 8 dias para comprarem todo o edifício.

Foram os próprios moradores que encontraram o anúncio de venda do prédio no qual residem, estando este descrito como sendo um edifício “de traça antiga e devoluto”. Porém, nele residem atualmente 17 famílias, num total de 40 moradores, a maioria com idades superiores a 65 anos.

Os residentes denunciam o facto de, sem qualquer explicação prévia, as empresas imobiliárias terem destruído as portas e janelas, feito alguns buracos no chão e demolido algumas das paredes das casas que estão vazias. Um dos moradores denuncia inclusive obras não licenciadas que mexeram com as vigas estruturais do edifício. Afirmam também ter receio de sair de suas casas de noite, uma vez que a luz das zonas comuns do edifício foi cortada e por qualquer pessoa conseguir de momento aceder aos apartamentos que se encontram sem portas e janelas.

“Ao fazerem isso o que é que eles querem que nós pensemos? Que nos estão a fazer pressão”, afirma uma das moradoras. “Querem que a gente se vá embora daqui”. Os moradores receberam em julho deste ano cartas anónimas a dizer que tinham de concorrer a habitação municipal.

O Bloco de Esquerda apresentou a 25 de julho uma moção sobre este assunto na assembleia municipal de Lisboa. A moção aprovada víncula a Câmara Municipal de Lisboa à garantia de que os moradores do prédio Santos Lima têm acesso ao seu direito constitucional à habituação, a verificar a situação de bullying a ser exercida sobre os residentes e a garantir o “direito de preferência numa eventual venda de forma a integrar o Programa de Renda Acessível público, garantindo a permanência dos inquilinos atualmente residentes”.

Termos relacionados Sociedade
(...)