Está aqui

Milhares de jovens protestam em defesa do planeta

A greve climática estudantil realiza-se em mais de 100 países. Em Portugal, houve quase meia centena de protestos. Às portas das eleições europeias, os jovens exigem que o clima seja uma prioridade.

Por todo o mundo, os estudantes protestaram contra a inação dos governos em relação às alterações climáticas.

Em Lisboa, milhares de jovens concentraram-se na praça Marquês de Pombal. Dali rumaram à Assembleia da República, num grupo que tinha estudantes do básico ao superior, e ainda crianças acompanhadas por adultos.

No Porto, os estudantes exibiam faixas com frases como “O capitalismo não é verde.

Pode ver mais imagens e vídeos deste protesto, em várias cidades do país, no Twitter do Esquerda.net.

O protesto, o segundo deste ano, tem o objetivo de alertar os governos para a necessidade de tomarem medidas concretas para que sejam limitadas as emissões de gases com efeito de estufa, responsáveis pelas alterações drásticas, graves e rápidas no clima do planeta.

Esta quinta-feira, Marisa Matias apelou aos jovens para que traduzissem o grito pelo clima em voto. A candidata do Bloco, que elogiou a mobilização dos jovens como um "grito fundamental", afirmou que, caso  este grito não se traduza em voto, "vão ter mais do mesmo".

A greve climática estudantil é inspirada na sueca Greta Thunberg, 16 anos, que, no ano passado, iniciou um boicote às aulas de forma a exigir ao parlamento da Suécia que tomasse ações urgentes para travar as alterações climáticos.

Termos relacionados Sociedade
(...)