Está aqui

Médicos britânicos desmentem Manuel Heitor

Depois de o ministro português ter dado como exemplo o Reino Unido para justificar a desqualificação dos médicos de família, a Associação Médica Britânica afirma que tal ideia é “completamente incorreta”.
No Reino Unido, os médicos de medicina familiar são reconhecidos como especialistas em medicina generalista e especialistas em clínica geral. Foto Mário Cruz, Lusa.
No Reino Unido, os médicos de medicina familiar são reconhecidos como especialistas em medicina generalista e especialistas em clínica geral. Foto Mário Cruz, Lusa.

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, defendeu este mês que a formação dos médicos de família deveria ser simplificada, de forma a aumentar o número de licenciados na área, criando um grau menor de exigência relativamente aos médicos especialistas.

Defendeu a ideia com o sistema do Reino Unido onde, segundo o Ministro, “o sistema está diversificado, sobretudo aquilo que é a medicina familiar, que tem um nível de formação menos exigente do que a formação de médicos especialistas”, afirmou. Sucede que não é verdade.

Num comunicado da Associação Médica Britânica (AMB), publicado este domingo, a associação rejeita absolutamente que os médicos de família sejam menos qualificados no Reino Unido face aos médicos especialistas. Antes, os médicos de medicina familiar são reconhecidos como especialistas em medicina generalista e especialistas em clínica geral.

“É completamente incorreto descrever a formação em medicina familiar no Reino Unido como menos exigente do que no caso de outras especialidades médicas”, afirma Samira Anane, responsável para a educação, formação e trabalho do grupo de Medicina Familiar da AMB.

Para poderem exercer, os médicos de família naquele país têm de terminar o mesmo curso universitário do que os outros ramos da medicina, completar mais dois anos de formação prática básica e pelo menos mais três anos de formação prática especializada, de acordo com um programa aprovado pelo General Medical Council (GMC), a que se segue depois a aprovação nas avaliações do colégio da especialidade e o certificado do GMC.

Samira Anane destaca ainda que estes procedimentos também "estão em vigor para garantir que os médicos que se mudam do estrangeiro para o Reino Unido, ou que demonstrem conhecimento, aptidões e experiência equivalentes, cumpram estes altos padrões".

Termos relacionados Política
(...)