Está aqui

Maternidades: Bloco quer ouvir o ministro da Saúde

O Bloco de Esquerda requereu a audição urgente de Manuel Pizarro na Assembleia da República. Em causa está a possibilidade de encerramento de maternidades e urgências de obstetrícia/ginecologia no SNS.
Bloco quer ouvir o Ministro da Saúde no Parlamento. Fotografia: Wiki Commons / Tom Adriaenssen

De acordo com informações divulgadas pela comunicação social, o documento produzido pela comissão de acompanhamento de resposta em urgência de Ginecologia/ Obstetrícia preconizará a concentração de serviços de obstetrícia bem como o encerramento de outros. 

No início de setembro, Diogo Ayres Campos, coordenador desta comissão afirmou que não via outra alternativa “senão concentrar recursos para fazer face a esta dificuldade que há em ter as equipas completas”. 

No documento entregue no Parlamento, o Bloco refere que “mais recentemente foi tornado público que no documento a entregar ao Governo se prevê o encerramento da maternidade de Famalicão. Questionado sobre o assunto, Diogo Ayres Campos não só admitiu esta possibilidade como admitiu o encerramento de outras maternidades”. 

“A situação de falta de profissionais na área de obstetrícia e ginecologia não é nova e o Governo nada fez para melhorar a situação simplesmente porque não quis”, lembra o Bloco, acrescentando que “a falta de profissionais não se resolve com encerramentos. As carreiras não serão melhoradas com encerramentos. E, mais importante do que tudo, a prestação de cuidados à população não melhora quando se encerram serviços. Muito menos a acessibilidade”.

Consequentemente, o Bloco solicitou a audição com urgência do Ministro da Saúde, Manuel Pizarro, para que este “esclareça se concorda com as propostas de concentração e encerramento de serviços, se vai avançar com estas medidas e quais os serviços e populações que serão prejudicados com tal medida”. 

Termos relacionados Política
(...)