Está aqui

“Marisa Matias saberá defender a democracia num momento crucial para o nosso país”

O ator e encenador Tiago Rodrigues explicou as razões pelas quais aceitou ser mandatário de Marisa Matias. A apresentação da candidatura presidencial, que decorreu este sábado, contou ainda com as intervenções de Tatiana Moura, Mário André Macedo e Madalena Bindzi.
Marisa matias apresentou a sua candidatura à Presidência da República no Pátio da Galé, em Lisboa. Fotos de Fotografias de Sofia Patrão e Beatriz Magrito.

Num vídeo transmitido na Pátio da Galé, onde decorreu a iniciativa, o ator e encenador, Prémio Pessoa 2019, afirmou que foi “com uma enorme honra aceitar ser mandatário da campanha presidencial de Marisa Matias, na convicção de que é uma campanha que saberá defender a democracia num momento crucial para o nosso país e que irá propor um projeto político de uma sociedade mais justa, mais igual e mais livre”.


Ler aqui a apresentação de Marisa Matias: Marisa Matias apresentou declaração de candidatura


"Uma voz forte na defesa da democracia, da igualdade e da justiça social”

Também a socióloga e investigadora Tatiana Moura explicou por que razão apoia a candidatura, assinalando que “a Marisa sempre estará na política pelas razões certas e da maneira certa” e que sabemos que podemos confiar e “contar com ela de forma incondicional”, especialmente “em contextos de medos e de incertezas”.

“Não faltam provas nem demonstrações do papel da Marisa no combate a quem nos espezinha e despreza, desde o nível micro das relações do dia-a-dia, ao nível macro da política internacional, acrescentou, referindo que “a Marisa tem estado do lado certo da história nos mais diversos campos” e que “nunca permitirá que Portugal e os portugueses e portuguesas fiquem reféns dos interesses privados”.

“Sabemos e tememos todos a forma como forças extremistas, fascistas, racistas, homofóbicas e misóginas emergem por toda a Europa. Portugal, não é excepção. Com a Marisa, temos a certeza de que não faltará uma voz forte na defesa da democracia, da igualdade e da justiça social”, vincou.

Tatiana Moura defendeu ainda que “temos que garantir que elegemos para a Presidência da República alguém que assegure o funcionamento da democracia e das suas instituições e sintetize os interesses e as identidades coletivas que nos unem.

“Por um SNS que continue a ser a grande bandeira e orgulho da nossa democracia”

Mário André Macedo destacou que “nas próximas eleições a escolha não pode ser mais clara. Mais do que escolher entre candidatos ou partidos, temos perante nós uma escolha de causas”.

De acordo com o enfermeiro, especialista em saúde infantil e pediátrica, “a Marisa é a candidata contra o medo que nos destrói e divide”.

“Acredito que é a pessoa certa porque é gente como nós, como eu, como vós todos, que sempre lutou contra a injustiça e nunca desistiu, que dá cara pela defesa do ambiente, da escola publica e inclusiva ou por um serviço nacional de saúde de qualidade para todos”, frisou.

Mário André Macedo recordou o seu papel na luta em defesa do Serviço Nacional de Saúde no Parlamento Europeu, mas também em Portugal. Por “um SNS com financiamento adequado, cujos trabalhadores tenham uma carreira digna. Por um SNS que sirva os interesses de todos e de todas e não os negócios de alguns. Por um Serviço Nacional de Saúde que continue a ser a grande bandeira e orgulho da nossa democracia”.

O enfermeiro fez ainda referência ao facto de Marisa apoiar e lutar ao lado de todas e todos os cuidadores informais para que o seu estatuto fosse criado, aprovado e posto em prática. “Precisamos de uma presidente assim, que reconhece e está ao lado de quem mais precisa”, realçou.

“A nossa candidata contra a insurgência do ódio”

Para Madalena Bindzi estas serão as primeiras eleições onde contribuirá com o meu voto. E a ativista estudantil e antirracista “queria muito que a geração de jovens que irá, junto a si, votar nas próximas eleições “reconhecesse a imensidão da relevância que tem o nosso papel na construção e determinação de um futuro melhor para todos e todas”.

“E é aqui que a Marisa entra, a nossa candidata contra a insurgência do ódio. Uma mulher que se afirma afincadamente e sem hesitação contra qualquer tipo de discriminação ou violação de direitos. Uma mulher corajosa faz da sua luta diária a obtenção de um mundo justo e seguro para homens e mulheres, crianças e adultos, negros e brancos, ciganos e ciganas, emigrantes e imigrantes, sem intolerância ou perseguições. Ela é a personificação da liberdade e igualdade, da solidariedade, inspiração, do sonho, do empenho, trabalho e força”, afirmou Madalena Bindzi.

Uma “grande mulher que realmente ouve e afirma o respeito por um conjunto de valores morais, que não se rege por puros interesses financeiros ou por ordens de mercado, mas sim pelas necessidades das pessoas. Que se rege pela urgência de garantir uma sociedade unida que não deixe ninguém para trás. Uma mulher que diz não à violência ou submissões à ignorância e insensibilidade, às injustiças, à poluição e destruição do nosso planeta, uma que diz não ao desrespeito dos direitos humanos e laborais, não às desigualdades”, continuou.

A ativista estudantil e antirracista cresceu com a Marisa e tenciona “continuar a crescer”: “Tomo-a como exemplo desde a mais tenra idade na medida em que tudo o que ela faz ou canaliza me transmite toda a esperança e confiança na possibilidade da criação desse mundo melhor”, apontou.

“Com a Marisa, aprendi a lição de mulher orgulhosa e combativa que está lá para enfrentar as lutas e para as fazer acontecer. Com ela acredito que esse mundo e futuro não tenham de ser distantes, são um mundo e futuro que se encontram diretamente ao nosso alcance e que todos nos devemos esforçar por atingir”, rematou.

 

Termos relacionados Marisa 2021, Política
(...)