Está aqui

Mais de 4 milhões de pessoas afectadas pelas cheias no Paquistão

As inundações no Paquistão, as piores no país nos últimos 80 anos, afectaram até agora mais de quatro milhões de pessoas, indicou esta quarta-feira um responsável da ONU. Registam-se já 1500 mortos.
As inundações no Paquistão, as piores no país nos últimos 80 anos, afectaram até agora mais de quatro milhões de pessoas. Foto Arshad Arbab/EPA/LUSA.

“Mais de quatro milhões de pessoas são afectadas de um modo ou de outro” pelas inundações e desmoronamento de terras devidos à monção, explicou o chefe do gabinete de coordenação dos assuntos humanitários da ONU (OCHA) no Paquistão, Manuel Bessler, durante uma teleconferência com Genebra a partir de Islamabad.

“Aquilo a que assistimos actualmente é uma catástrofe de grandes proporções”, insistiu, adiantando temer que a situação se agrave dado que a estação da moção termina normalmente no final de Agosto.

A região sul do Paquistão teme que o pior esteja para chegar. Aqui antes das cheias há aldeias inteiras a serem evacuadas para que não se repita o cenário registado a norte.

O programa alimentar das Nações Unidas tem em marcha um programa de ajuda em quatro distritos onde há grandes carências alimentares.

A Cruz Vermelha Internacional lançou um primeiro apelo, são precisos 12 milhões de euros, mas de vários pontos do mundo já começou a chegar apoio. A China doou um milhão de euros em ajuda. Segundo a Lusa, a representação diplomática norte-americana também anunciou 10 milhões de dólares em ajuda humanitária imediata.

Na terça-feira passada, as agências humanitárias das Nações Unidas iniciaram a distribuição de ajuda aos milhões de pessoas afectadas pelas fortes inundações que ocorreram no Paquistão nos últimos dias.

Como apoio aos esforços das autoridades locais, o Programa Alimentar Mundial (PAM) distribuiu refeições de emergência a 35 mil famílias e espera aumentar esse número para as 150 mil nos próximos três meses, afirmou a ONU.

Também o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) forneceu tendas de campanha e outros materiais de emergência às autoridades das zonas afectadas, enquanto a Organização Mundial de Saúde vai prestar ajuda médica e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) se encarregou de garantir água potável para as vítimas.

“A ONU trabalha a toda a velocidade para complementar a ajuda do governo” paquistanês, afirmou, em comunicado, o subsecretário geral da instituição para os Assuntos Humanitários, John Holmes.

As piores inundações do Paquistão desde 1929 destruíram também casas, estradas e pontes, além de terem perturbado as comunicações. 

Termos relacionados Internacional
(...)