Está aqui

Lava jato: Moro opôs-se a investigar Fernando Henrique Cardoso

The Intercept revelou que Sergio Moro, ministro da Justiça brasileira e ex-juiz, tentou descredibilizar as investigações feitas a Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República. A justificação era não querer “melindrar alguém cujo apoio é importante”.
Fotografia: commons/wikimedia.org
Fotografia: commons/wikimedia.org

Na mais recente divulgação do The Intercept, portal de investigação jornalística, são mostradas mensagens que terão sido trocadas entre Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol.

The Intercept é um portal de jornalismo de investigação liderado por Glenn Greenwald, jornalista a quem Edward Snowden revelou os programas de espionagem da Agência de Segurança Nacional norte-americana. Este mês, o portal começou a publicar reportagens sobre a operação Lava Jato.

Já Deltan Dallagnol respondeu que acreditava que o envio das investigações para São Paulo teria sido propositado, de forma a transmitir uma percepção pública de “imparcialidade”.

Este diálogo referia-se às investigações de “caixa dois”, recursos financeiros não contabilizados e não declarados. The Intercept afirma ainda que, no caso de Fernando Henrique Cardoso, estariam em causa pagamentos de recursos não contabilizados nos casos das campanhas eleitorais do ex-presidente.

Após a divulgação da reportagem, o Ministério da Justiça brasileiro emitiu um comunicado em que afirma que Moro “não reconhece a autenticidade das supostas mensagens”.

“Sergio Moro não reconhece a autenticidade de supostas mensagens obtidas por meios criminosos, que podem ter sido editadas e manipuladas, e que teriam sido transmitidas há dois ou três anos. Nunca houve interferência no suposto caso envolvendo o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que foi remetido diretamente pelo Supremo Tribunal Federal a outro Juízo, tendo este reconhecido a prescrição”, pode ler-se na nota, onde é ainda dito que as reportagens são “mero sensacionalismo”.

 

Termos relacionados Internacional
(...)