Está aqui

Lajes: "Queremos gerir aquilo que é nosso”

Numa referência à Base das Lajes, Zuraida Soares afirmou que “a última coisa de que precisamos é de substituir o amo, passando dos americanos para os chineses”.

Reagindo às declarações proferidas pelo Primeiro Ministro, António Costa, em Macau, a candidata bloquista afirmou que “não queremos mais amos, queremos ser donos daquilo que é nosso e gerir aquilo que é nosso, em nosso favor”.

A coordenada do Bloco Açores reafirmou que “está na altura de olhar para o mar e para a posição geoestratégica da Região e utilizar estas vantagens para o “desenvolvimento e riqueza” dos Açores.

“Os chineses, como qualquer outro povo, serão bem-vindos aos Açores”, se vierem para investigar, mas a Região tem que ter “o conhecimento e o poder para controlar e decidir sobre aquilo que se faz no nosso mar”, acrescentou.

Neste sentido do Bloco de Esquerda já anunciou uma proposta de alteração ao Estatuto Político Administrativo dos Açores para que a Região “tenha a última palavra sobre aquilo que é seu”, salientou Zuraida Soares, que garantiu que esta “será uma das primeiras iniciativas a apresentar na próxima legislatura”.

Confiança num bom resultado

Numa ação de campanha na Feira do Gado de Santana, em São Miguel, Zuraida Soares disse estar “muito confiante” para o próximo domingo: “Esta campanha tem vindo a subir todos os dias em manifestações de apoio”, nos jantares comícios em São Miguel, Terceira, Faial e São Jorge, esteve “tanta gente que tem esperança que nós consigamos ter mais deputados e mais deputadas para continuar a fazer o trabalho que os açorianos e açorianas certamente reconhecem”.

A candidata bloquista acredita que os açorianos e açorianas fazem uma “avaliação positiva do trabalho, do empenho, da atitude e das propostas do Bloco de Esquerda” e que isto vai permitir alcançar o objetivo de “aumentar o número de votos e de deputados eleitos”.

_________________________

Notícia publicada no site do Bloco de Esquerda dos Açores

(...)