Está aqui

Junta da Extremadura de Espanha anula licenciamento de mina de urânio perto da fronteira

Junta da Extremadura anulou o licenciamento de mina de urânio na província de Badajoz, a escassos 25 km da fronteira portuguesa. Possível exploração de urânio tinha dado origem a protestos nos dois lados da fronteira. Bloco questionara o governo.
No protesto realizado em Villanueva del Fresno, esteve uma delegação portuguesa com faixa dizendo “Não a mina de urânio” - foto de página do facebook de “Dehesa sin Uranio”
No protesto realizado em Villanueva del Fresno, esteve uma delegação portuguesa com faixa dizendo “Não a mina de urânio” - foto de página do facebook de “Dehesa sin Uranio”

A Junta da Extremadura anunciou a decisão de cancelar o licenciamento nesta sexta-feira, 19 de julho. Segundo o órgão, havia seis recursos contra a autorização de pesquisa de urânio. Esses recursos tinham sido apresentados por autarquias, mas representavam também o movimento contra a mina que se tinha levantado na província espanhola.

O movimento de protesto contra o urânio tinha sido constituído a partir da plataforma “Dehesa sin Uranio” (“Montado sem urânio”) e tinha organizado vários protestos em diferentes locais da Extremadura, nomeadamente em Mérida, Zahinos e Villanueva del Fresno.

O Bloco de Esquerda tinha também questionado o governo português sobre o assunto, se tinha informação e o que pretendia fazer. No documento, lembrava-se que a exploração do urânio em Portugal “deixou um rasto de consequências graves para a saúde dos mineiros e das populações”.

O Bloco recordava também que a exploração do urânio tinha deixado em Portugal um “elevado passivo ambiental ainda não resolvido, com processos de descontaminação morosos e de custos avultados”.

Termos relacionados Ambiente
(...)