Está aqui

João Teixeira Lopes não quer “alimentar o catavento político que é Manuel Pizarro”

O candidato bloquista João Teixeira Lopes acusou o candidato pelo PS, e antigo vereador da Habitação, Manuel Pizarro, de “não ser sério nem credível”, porque “todos os dias arranja um novo partido com quem se quer coligar”.
João Teixeira Lopes, candidato do Bloco de Esquerda à Câmara do Porto. Foto de José Coelho, Lusa.

“Não vou alimentar o catavento que é doutor Manuel Pizarro. Porque se eu disser hoje alguma coisa, ele vai dizer que se quer coligar comigo, e então já temos mais uma historieta para a telenovela das coligações que Manuel Pizarro encontra todos os dias para alimentar a campanha”, frisou Teixeira Lopes quando questionado pelos jornalistas sobre uma possível coligação com o PS.

Ainda sobre o possível papel do Bloco no executivo municipal, o candidato esclareceu que os bloquistas ou serão “uma oposição fiscalizadora crítica” ou então “vão trazer as mudanças que a cidade precisa”, nomeando a habitação e cuidado aos idosos.

Em qualquer dos casos, João Teixeira Lopes garantiu que o Bloco não se demitiria das suas responsabilidades, caso a população lhe “dê força”.

A campanha da candidatura bloquista no Porto fez esta quarta-feira uma viagem de elétrico, opção que Teixeira Lopes considera ter “um grande futuro”, sendo usado também nas “maiores cidades europeias” como transporte “ecológico, barato, rápido e eficaz”.

Segundo o candidato, “não faz sentido” que, no Porto, o elétrico seja só para o cartão postal e para os turistas”.

“O Porto tem um problema de transportes públicos e de trânsito, e uma boa resposta para ambos é apostar em meios-suaves, amigos do ambiente, e que simultaneamente permitam um complemento à própria estrutura do metro do Porto. Agora que os STCP estão municipalizados, é crucial que os elétricos fossem num elemento da gestão de mobilidade do Porto”, vincou.

Termos relacionados Autárquicas 2017, Política
(...)