Está aqui

Icebergue em processo de colapso iminente na Antártida

Este icebergue  tem o tamanho aproximado do Algarve, mas cumpre uma função essencial de coesão de toda a plataforma Larsen C. 
Fissura na plataforma Larsen C, por NASA/John Sonntag Handout, Lusa
Fissura na plataforma Larsen C, por NASA/John Sonntag Handout, Lusa

Um pedaço de Larsen C, um dos quatro grandes segmentos da plataforma de gelo na Península Antártica, estará prestes a desprender-se da plataforma com uma nova fissura profunda que deixou apenas 20 quilómetros de gelo a manter a ligação. 

Este icebergue  tem o tamanho aproximado do Algarve, mas cumpre uma função essencial de coesão de toda a plataforma Larsen C. 

Com uma área de 50 mil quilómetros quadrados, estas plataforma tem o tamanho aproximado de metade de Portugal, e o impacto ambiental da sua fragmentação seria substancialmente superior ao provocado pelo colapso de Larsen A (1995) e Larsen B (2002), cujo processo foi bem documentado.

Fragmentação de Larsen B
Fragmentação de Larsen B

A monitorização de Larsen C tem sido constante desde o verão de 2016, quando se detetou uma degradação acelerada do icebergue com fissuras de centenas de quilómetros de extensão. Em dezembro de 2016, a fissura principal teria criado 21 quilómetros de distância com a plataforma e, desde então, considera-se inevitável a sua fragmentação.

Quando finalmente este icebergue se desprender - o que estará para breve, admitem os investigadores - a plataforma de gelo diminuirá de tamanho em 10%. O Larsen C, de 350 metros de espessura, está localizado na costa oriental da península antártica e ajuda a travar o fluxo dos glaciares - rios de gelo - que estão por detrás. 

Segundo estimativas dos especialistas, se o gelo retido pela barreira Larsen C chegar ao mar, o nível dos oceanos poderá subir cerca de dez centímetros.

Termos relacionados Ambiente
(...)