Está aqui

Hospital de Braga aguarda autorização para contratar 75 profissionais

Em reunião com a Comissão de Trabalhadores, o Bloco tomou conhecimento de que o Ministério das Finanças continua a bloquear a contratação de 50 assistentes operacionais e 25 enfermeiros para o Hospital de Braga. "Esta contratação é uma necessidade premente" afirma José Maria Cardoso. O partido vai questionar o Governo.
Hospital de Braga. Fotografia: HB

No dia 27 de julho, a Comissão Coordenadora Distrital de Braga do Bloco de Esquerda reuniu-se com a Comissão de Trabalhadores do Hospital de Braga.

Esta unidade hospitalar precisa contratar 75 trabalhadores, designadamente 50 assistentes operacionais e 25 enfermeiros. No entanto, apesar da urgência, o processo encontra-se bloqueado no Ministério das Finanças.

O dirigente bloquista José Maria Cardoso considerou esta situação "inusitada" e afirmou que "o Bloco de Esquerda irá questionar o Governo, através do Grupo Parlamentar". 

"Não se compreende que o Hospital de Braga precise de contratar 75  profissionais, essenciais ao seu normal funcionamento, e que não consiga fazê-lo por cativação do Ministério das Finanças. Esta contratação é uma necessidade premente para o Hospital de Braga", afirma José Maria Cardoso, acrescentando que "esta realidade não se compagina com a propaganda feita pelo Governo". 

Na reunião com a Comissão de Trabalhadores do Hospital de Braga foi também abordada a situação do serviço de obstetrícia/ginecologia que ao longo dos últimos dois meses sofreu alguns encerramentos. 

José Maria Cardoso lembrou que o Bloco de Esquerda endereçou uma pergunta escrita ao Governo em junho, aquando do primeiro encerramento deste serviço.

Na resposta agora obtida, é referido que "o hospital de Braga está a ultimar os procedimentos de preenchimento das vagas libertadas em virtude das cessões de contrato de trabalho (...) perspetivando-se que os cuidados assistenciais da especialidade de ginecologia e obstetrícia serão garantidos no período de férias de Verão". 

"Estamos no verão e o serviço de obstetrícia continua a ter constrangimentos" registou o dirigente bloquista, afirmando que esta é uma "situação complexa mas que carece de resposta no imediato, a bem das utentes e do Serviço Nacional de Saúde".

"Somos defensores do Serviço Nacional de Saúde e como tal continuaremos a lutar por um serviço público de qualidade" afirmou José Maria Cardoso, que saudou também "todos os profissionais do Hospital de Braga" que "diariamente dão o melhor de si em prol do dos utentes e do SNS".

O Hospital de Braga é uma Entidade Pública Empresarial (EPE) que integra o Serviço Nacional de Saúde (SNS). É um hospital central com urgência geral, pediátrica e obstétrica/ginecológica que presta cuidados de saúde a mais de 270 mil pessoas em referenciação direta e a mais de um milhão em primeira e segunda linha de referenciação. Aqui trabalham mais de 3.300 pessoas.

Termos relacionados Saúde
(...)